RESENHA - Documentário Scream for Me Sarajevo (2017) Bruce Dickinson

RESENHA - Documentário Scream for Me Sarajevo (2017) Bruce Dickinson


Depois de muita procura, finalmente tive acesso ao documentário Scream for me Sarajevo, que para minha surpresa, tem o mesmo tempo de um filme; praí umas 2h de execução.

No inicio, confesso que pensei que não ia entender tão bem pois esta gravação que consegui está em Inglês e Bósnio, ao mesmo tempo...rs


Para mim e para os fãs da carreira solo do Bruce Dickinson, acredito que aquilo era mais uma peça chave para entender, acompanhar e tentar vivenciar o que foi sua história fora da banda, em uma apresentação nada convencional.

Obviamente, o documentário Scream for Me Sarajevo, iria tentar nos explicar como foi a apresentação em si de um cantor em meio ao cenário de uma guerra, e através de imagens e vídeos, era possível ter uma idéia do que pode teria sido este momento.

Entretanto, a questao nos leva antes para a memoria de homens da nossa idade, entre 30 e 40 poucos anos, que estavam na adolescencia no meio de guerra destruidora, e que dizimava milhares de inocentes .

A maioria de nós, desta geração nem sequer imagina um movimento qualquer de conflito armado, nem de massacre politico ou ideológico, não fazemos idéia da dimensão do pânico e do sofrimento que envolveu homens, mulheres, jovens, idosos, criancas no Brasil na década de 90…Uma guerra real.

Por isso antes de falar do show do Bruce, vamos falar da Guerra da Bosnia, pra você entender melhor o que ela foi.

Na região oriental da Europa, um local sem sua independência ideológica arde no mapa. Este país é a Bosnia onde o poder “trino” de Muculmanos, ortodoxos e católicos assumem uma nação.

Depois das consequencias do fim da Guerra Fria, em plena decada de 90, os paises que circundam a Bosnia, em especial na cidade de Sarajevo, iniciaram uma guerra sangrenta de fragmentacao da Iugoslavia.

Sérvios atacam bosnios no Cerco de Sarajevo e o estopim da guerra é o genocidio de Srebrenica, onde mais de 8 mil bosnios muçulmanos são assassinados.

E é por ai, que a ONU entra num acordo que envolve a EUA, RUSSIA e a Com.Europeia, com as tentativas de reter toda a desgraça.




Em 1994, Bruce Dickinson recebe um telefonema de um cara da ONU, perguntando se ele queria fazer um show em Sarajevo.
Bruce desconhecendo totalmente um cenario de guerra, e detalhes sobre o Cerco de Sarajevo, responde: “Sim, por que não?”

Dickinson na altura estava fazendo gravacoes com grupo que se chamaria Skunkworks, e que posteriormente viria ser o nome do álbum.
E foram…




Quando o helicóptero blindado que o esperava (e à sua banda) não apareceu, eles pegaram uma carona até Sarajevo na parte de trás de um caminhão - com decoração de personagens, com dois sacos de dormir e duas caixas de cerveja para se aquecerem.

 Era frio, a guerra estava viva, pulsante e matava muitas pessoas, era o verdadeiro pesadelo de uma população.

O responsável pelo show foi um major britânico que foi a ponte definitiva para levá los ao meio de uma pesada guerra de etnias
.
As lembranças da banda parecem vivas e com detalhes. Não só os jovens da cidade de Sarajevo mas também os músicos se emocionavam em relatar no documentário.

A lembrança de crianças órfãs torna se nitidamente emocional para Bruce que fala seriamente ao longo do documentario, sem aquele humor debochado habitual.

Os metaleiros bósnios no show, agora mais velhos, mal podiam acreditar que um tal “bruce dickinson” viria tocar… aos poucos, descrentes, entenderam que se tratava do vocalista do Iron Maiden.



Estes adolescentes durante o cerco, todos os dias estavam convencidos de que iriam morrer.

Quando o show começa eles tem a sensação de que foram levados ou abduzidos para um outro planeta, e aquilo aconteceu de forma mágica, inesquecivel.

Para Bruce foi também um choque, eles decidiu firmemente usar toda a sua energia e se entregar ao máximo àquele show!

O baixista Chris Dale lembra-se de um jovem músico a lhe perguntar:

Vocês trouxeram drogas?. Alguma heroína talvez? Ele respondeu:wow, não. Drogas são ruins para sua saúde.
Então o rapaz disse: “minha expectativa de vida já é muito curta _ tenho a maioria dos meus amigos mortos…"

O desespero foi absurdamente substituído pela Esperança num show de rock, e é isso que faz tudo mudar.

 A boa energia, a boa música e aquilo que é feito para curar feridas, aliviar o espirito: A arte x a comunidade artistica! E principalmente, coragem, alegria, determinação!°





O show teve o seguinte cast:
•Bruce Dickinson – vocal
•Alex Dickson – Guitarra
•Chris Dale – Baixo
•Alessandro Elena – Bateria

Após esta apresentação, o grupo gravou o disco Skunkworks, mas depois se desfez. Mas Bruce marcou mais um passo na sua carreira artistica. Depois de 25 anos, ele foi homenageado como cidadão honorário, no ano de 2019. 









Sobre Verônica Mourão

Verônica Mourão

1 comentários:

  1. Excelente matéria Verônica, meus parabéns e muito obrigado por essa aula. O documentário tem previsão de vir par ao Brasil?

    ResponderExcluir