[BRUCE DICKINSON]- Suas dores, doença, cansaços e o enfrentamento dos medos.

O repórter do programa de TV escandinavo SKAVLAN (sweeden and norwegian), entrevista Bruce Dickinson para o seu talk show:






Como seu corpo fica depois de um show? 

Dickinson: Dói muito, e em muitas partes. Tenho 59 anos, não devia estar fazendo isso.

Como fica sua mente depois de um show? É dificil de se acalmar?

Dickinson: "Eu vou para um lugar tranquilo, ou vou tomar uma cerveja ou fico um pouco quieto, sozinho. Tomo um banho quente de 45 minutos aproximadamente e deixo a água cair...

Como fica sua voz?

Dickinson: As cordas vocais são como qualquer músculo do corpo. Se você abusa e não usa corretamente, então vai ter problemas.

O que significa ter uma boa voz, ou usá-la corretamente?  Você tem uma voz melhor do que a de todos nós aqui...

Dickinson: Isso é relativo. Eu não acredito que a voz só é importante para cantar. É importante para se comunicar e o cantor é um contador de histórias. Obviamente, conto histórias de uma forma peculiar. Assim como Leonardo Cohen, contaria de uma outra forma. Quando descobri o câncer há 3 anos atrás, pensei que não ia poder voltar a cantar no Iron Maiden (felizmente não foi assim) mas não me impediria de continuar a contar histórias, obviamente de maneiras diferentes.

O que não é bom para a voz?

Dickinson: Falar. Quando eu falo, mexo os músculos da garganta para baixo, e quando canto uso toda musculatura do diafragma até a cabeça. Com a musculatura relaxada, é bem melhor. É sempre bom descansar, dormir, beber água (sempre mantenho minhas cordas vocais hidratadas) e não saio gritando nos bares depois do show.



A imagem que tenho do Iron Maiden é que não dormem muito e tomem água (risos). Como descobriu o câncer?

Dickinson: Eu descobri uma protuberância no meu pescoço. Eu a sentia e fui logo ao meu doutor, o doutor Google...

Você sentia dor?

Dickinson: Eu sentia que algo não estava bem, porque conheço o meu corpo muito bem. Sou esgrimista e faço atividades fisicas. Não uso drogas, então quando algo não está bem em meu corpo eu percebo logo. Eu não sentia que estava mal, mas sentia que algo não estava bem. Pensei que era gripe, mas não estava gripado. Suei algumas noites, mas não me sentia doente...
Fui ao Google e escrevi:

" Eu tenho 55 anos, não fumo, não uso drogas, não bebo muito (com excessão de um pouco de cerveja), e tenho uma protuberância no pescoço." 

Dickinson: Então estava neste grupo de perguntas e respostas  disseram me que provavelmente eu tinha: Human Papiloma Virus (HPV)


Nota IMB: Existem nos postos de saúde, remessas disponíveis da vacina contra HPV, doença que é transmitida geralmente por contacto sexual. A vacina é fornecida para crianças a partir dos 9 anos, antes de entrarem na adolescência e a vida sexual.



Como foi a reação do Iron Maiden e pessoas à sua volta, como se comportaram para ajudá-lo?

Dickinson: Basicamente, é um estranho e solitário "lugar". Pois não há nada a se fazer. É você, os médicos e os programa de TV da manhã...Os programas de TV na manhã são geniais. A primeira coisa que você vê é propaganda de "Seguros de Saúde",  ajuda financeira para funerais e doações para instituições de câncer....DESCULPA LÁ! Eu tenho câncer, podem me mandar dinheiro também?
Steve foi muito gentil e ele é uma pessoa reservada. Ele é o baixista da banda...

Ele é compositor também né?

Dickinson: Sim, um dos principais compositores. Ele me enviou um par de livros e um trampolim.
um dos livros era: "Não volte a temer o cancer" E eu perguntei, "Porque um trampolim"?
E ele: " É muito bom para recuperação, tem baixo impacto. Será bom para tua recuperação"
Eu quase me matei usando aquilo, assistindo Rugby e pulando nele.



Você o levou para o hospital?

Dickinson: Não eu não estive em um hospital, não estive internado. Estive em casa o tempo todo. Só saía para pegar o trem para fazer a radiação,caminhava no parque e voltava para casa. O trampolim que quase me matou. Tive que "deixa lo na esquina" (por no lixo).

Sabemos que você é um piloto de 747, que é um avião enorme. Já se sentiu em situações de perigo, voando?

Dickinson: Vou te contar uma história. Um dos membros da banda, ficava muito nervoso quando ia voar. E eu antes de pilotar esses aviões grandes, pilotava esses com hélices e todo mundo fica apavorado com hélices. Foi então que o convidei para fazer um vôo ao meu lado, como co-piloto. E depois ele queria voar sempre, mas se eu tivesse ao lado dele, daquela forma. Então voamos em um pequeno avião com tormentas, instabilidades, turbulências e essa aeronave só tinha 6 lugares, então eu olhava para trás e ele me via. E eu dizia: "Está tudo bem", então ele dizia "OK" e voltava dormir. As pessoas precisam de um rosto, a dizer que está tudo bem.


Sobre Verônica Mourão

Verônica Mourão

0 comentários:

Postar um comentário