[ IRON MAIDEN ] - Os motivos das demissões na banda (Paul DiAnno)


A voz inconfundível dos trabalhos iniciais do Iron Maiden, Paul Di'Anno cantou nos dois primeiros discos, Iron Maiden (1980) e Killers (1981). Mas ele seria a segunda vítima do primeiro álbum do Maiden. Um personagem real, jack-the-lad, "a besta", como ele próprio chama, a inclinação de Di'Anno para a vida rápida acabaria por separá-lo de uma banda a qual era evidente sua escalada para o topo.

É o famoso conto de sexo, drogas e rock'n'roll. O cantor ficava acordado durante noites de festa e, conseqüentemente, perdia a voz ou estava em uma forma tão terrível que os shows eram cancelados. Isto nunca caiu bem nas graças de Steve Harris e Rod Smallwood, que consideraram o comportamento de Di'Anno uma ameaça clara e atual ao progresso do Maiden.

Harris afirmou na época que "se tivesse sido porque ele estava fazendo muitos shows eu teria toda a simpatia". Mas eram claramente álcool e drogas que prejudicavam Di'Anno, e o Maiden estava crescendo em obrigações cada vez maiores: "Nós não podíamos dar-se ao luxo de continuar a tocar em shows onde ele não estava focado 100%, onde estava sem coragem, ou pior ainda, soprando ".

Di'Anno por sua vez, nunca negou os efeitos que o estilo de vida do rock'n'roll tinha em sua capacidade de entregar o que o Maiden exigia dele. Mas ele também insiste que estava ficando cansado da rotina pesadamente programada até aquele ponto. Disse ele mais tarde. "Eu não me envolvi no rock'n'roll para manter horários e reuniões e ter certeza de que vou ter oito horas de sono de beleza todas as noites."

Ele também alega que não estava inteiramente feliz com a direção musical que a banda estava dirigindo, começando com "Killers". Se isso é retrospectiva ou previsão, não se pode saber ao certo. Harris foi completamente contundente sobre o assunto três décadas mais tarde: "Paul estava totalmente fodido."



O fato da questão é que o Maiden passou a procurar um cantor que tinha o tipo de voz que Harris queria explorar, até que chegaram em Bruce Dickinson. E como eles teriam conquistado o mundo sem ele? Mesmo Di'Anno aplaudiu a escolha, e mais tarde afirmou em termos inequívocos que ele achava que "Bruce é absolutamente o melhor cantor que a banda já teve".

Dickinson alegou que ele foi realmente convidado a se juntar ao Maiden antes que Di'Anno tivesse formalmente saído da banda.  Naquele momento, o Maiden ainda tinha um apanhado de shows a fazer na turnê de Killers. Dickinson lembra que foi informado da saída de Di'Anno nos shows na Escandinávia quando ele fez a audição para a banda, e o Maiden fez seus últimos shows com Di'Anno na Suécia e na Dinamarca no início de setembro.

Tudo isso certamente seria indicativo da frustração do Maiden com seu cantor original durante a turnê do "Killers", mas também que eles não ousaram deixar Di'Anno ir antes que um substituto fosse garantido.

Continua...


Sobre Alexandre Rodrigues Temoteo

Alexandre Rodrigues Temoteo

6 comentários:

  1. Muito bom continue com essas noticias...

    ResponderExcluir
  2. Que tradução horrível foi essa? A matéria é boa mas o português utilizado parece Google translator. Seria possível melhorar isso?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa tarde Sr. "Unknow". Primeiramente gostaria de agradecer por acompanhar o Iron Maiden Brasil. E também gostaria que nos mostrasse que erros de português tão sérios foram esses que o fizeram desvirtuar do foco da matéria. Desde já, agradecemos sua colaboração.

      Excluir
  3. Respostas
    1. Boa tarde Sr. "Unknow". Primeiramente gostaria de agradecer por acompanhar o IroN Maiden Brasil. E também gostaria que nos mostrasse que erros de português tão sérios foram esses que o fizeram desvirtuar do foco da matéria. Desde já, agradecemos sua colaboração.

      Excluir