[ ADRIAN SMITH ] - Minha Vida em 10 músicas, entrevista para MetalHammer.

 A revista britânica Metal Hammer conversou, recentemente, com o guitarrista do Iron Maiden, Adrian Smith, e pediu para que o músico escolhesse dez canções que melhor representasse a sua carreira musical. A lista de Adrian você pode conferir nas linhas abaixo.

Compre com desconto o novo álbum Senjutsu, em CD duplo e vinil triplo


VINIL TRIPLO - https://amzn.to/3chFXc8

1. Adrian Smith/Dave Murray – Paper Plane (não lançada)

“Quando eu estava começando, era eu e Dave Murray tocando covers em nosso quarto quando tínhamos 15 anos. Nós éramos fãs do Status Quo, eles nos inspiraram muito, com isso decidimos fazer algo juntos, com alguns outros amigos”.

2. Iron Maiden – Twilight Zone (single, 1981)

“Twilight Zone é uma música da época do Killers, momento em que entrei para o Iron Maiden. A canção foi lançada como single junto com Wrathchild. [O produtor] Martin Birch não estava no estúdio quando a gravamos, fizemos as bases e tudo mais. A faixa veio de um riff de Dave Murray”.

3. Iron Maiden – Stranger In A Strange Land (Somewhere In Time, 1986)

“Direto para Somewhere In Time, Stranger In A Strange Land foi uma das últimas músicas que escrevi para a banda antes minha partida. Estávamos gravando no Wisseloord Studios, na Holanda, o estúdio ficava a cerca de uma hora de Amsterdã. Eu cheguei a morar em Amsterdã por cerca de dois meses, o que foi… Interessante. Eu não morava na parte boa da cidade, mas foi divertido! Eu gostei desse álbum e me diverti muito gravando-o”.

4. A.S.a.P. – Fighting Man (single, 1989)

“Outra canção que não apareceu em nenhum álbum, eu lancei Fighting Man com o A.S.a.P. – Adrian Smith e Project, além disso, fora um lado B. Eu tenho um carinho por essa música, pois foi escrita pelo meu velho amigo Dave ‘Bucket’ Colwell, que estava no Bad Company, ele é um dos meus amigos mais antigos. Ele escreveu Fighting Man e a gravamos em Surrey.

Eu canto nessa música, então foi legal voltar ao esquema que eu fazia com Dave Murray lá no comecinho. Foi muito trabalho cantar no álbum inteiro, além disto, eu gostaria de saber na época o quanto sei de estúdio agor”.

5. Michael Kiske – The Calling (Instant Clarity, 1996)

“Depois que saí do Maiden, eu acabei fazendo alguns álbuns solo, e fiz um trabalho com um cara chamado Michael Kiske, do Helloween. Ele é um cara legal e estava na mesma posição que eu: tinha saído de uma ‘big band’ e estava querendo fazer um álbum solo. Nós nos demos muito bem e escrevemos algumas músicas incríveis, uma das quais se chama The Calling. Ele alugou uma casa no norte da Alemanha, que tinha todo o equipamento de gravação, mas sem aquecimento. Estávamos congelando. Mas foi muito divertido, ele tentava me fazer escrever uma música como 2 Minutes To Midnight ou Total Eclipse, que é um lado B de The Number Of The Beast”.

6. Psycho Motel – A Quarter To Heaven (Welcome To The World, 1997)

“No Psycho Motel, eu tive dois vocalistas: o primeiro era um cara chamado Hans-Olav Solli, que cantou no nosso primeiro álbum. Na verdade, eu o escolhi porque o Maiden me deu todas as fitas de audições que eles tinham quando procuravam um cantor depois que Bruce saiu. Eles obviamente escolheram Blaze (Bayley), mas eles tinham caixas e caixas de CDs, cassetes e qualquer coisa do tipo com material de várias pessoas. E como eu estava procurando alguém para minha nova banda, a equipe me passou esse material. Hans-Olav Solli era da banda Sons Of Angels, eles eram muito bons.

O segundo cara era Andy Makin, eu achava a voz dele bem interessante. Andy veio para ajudar a escrever o segundo álbum Psycho Motel e acabamos completando-o em 10 dias, trabalhamos na parte rítmica de A Quarter To Heaven por um dia, curto muito esse som”.

7. Bruce Dickinson – Man Of Sorrows (Accident Of Birth, 1997)

“Depois que fiz o segundo álbum do Psycho Motel, estava difícil encontrar uma turnê para fazer, então, Bruce Dickinson me ligou um dia e perguntou o que eu estava fazendo. Eu disse a ele que tinha esse álbum, mas não o tinha lançado e não sabia o que fazer com ele. Ele me disse que estava trabalhando com Roy Z, que é um guitarrista muito bom e escreve ótimas músicas, e me convidou para me juntar a eles. Ouvi as demos de Accident Of Birth e achei ótimo, assim me juntei a eles. Eu amei Man Of Sorrows! Acho que o solo de guitarra é um dos melhores que já fiz. Eu ainda tenho muito orgulhoso desse solo”.

8. Greg Ridley – Live To Learn (Anthology… All I Ever Needed, 2005)

“Eu 2000, eu estava de volta ao Iron Maiden, mas tinha um pouco de tempo livre. Meu velho amigo Bucket me ligou e chamou para tocar com Greg Ridley. Greg foi o baixista original do Humble Pie, e fora uma grande influência para mim quando eu era novo – tanto quanto o Status Quo.

Infelizmente, Greg estava lutando contra o câncer e antes de morrer escreveu algumas músicas com Bucket, as quais lançaram em uma antologia póstuma chamada All I Ever Needed, e eu tive o privilégio de cantar em uma das músicas que ele escreveu. A música era Live To Learn, que gravamos no estúdio do AC/DC, em Islington”.

9. Bucket & Co. – Make Up Your Mind (Guitars, Beers & Tears, 2010)

“O nome de Bucket continua aparecendo aqui, eu sei, mas é porque trabalhamos bastante juntos. Ele está abrindo para nós na turnê Smith/Kotzen, com Buckets Rebel Heart. Ele me ligou quando estava procurando alguém para cantar em seu primeiro álbum com Bucket & Co.. Me diverti muito cantando na música Make Up Your Mind”.

10. Smith/Kotzen – Running (Smith/Kotzen, 2021)

“A primeira música que Richie [Kotzen] e eu escrevemos juntos se chama Running. Nós somos amigos há um tempo e já fizemos algumas jams juntos. Estávamos tocando e nos divertindo muito e minha ‘patroa’ disse: ‘Por que vocês não escrevem juntos’? E foi exatamente o que fizemos. Running deu o tom para fazermos o álbum. Estou muito feliz por termos feito isso, Smith/Kotzen tem sido muito gratificante”.



Fonte: https://www.loudersound.com/features/iron-maidens-adrian-smith-my-life-in-10-songs

Sobre IMB

IMB

0 comments:

Postar um comentário