[ BRUCE DICKINSON ] - Ele te enganou em shows no Brasil em 2019 e você nem percebeu

 O Iron Maiden fez shows apoteóticos no Brasil em 2019. Foram realizadas três apresentações, de sua turnê "Legacy of the Beast", em São Paulo, Porto Alegre e Rio de Janeiro - na Cidade Maravilhosa, inclusive, a performance rolou no festival Rock in Rio e foi transmitida, em vídeo, para todo o mundo.


 SENJUTSU já está em pré venda no Brasil 🇧🇷 na Amazon BR através do link:  https://amzn.to/3kKGecU

Com justiça, a banda acabou sendo muito elogiada por esses shows, com destaque ao vocalista Bruce Dickinson, que, então com 61 anos e um câncer devidamente superado, impressionou com sua performance enérgica. Ele não só estava cantando muito bem, como, também, movimentava-se por todo o palco, com trocas de figurino e interação com elementos teatrais.

Tudo isso acaba de ficar ainda mais impressionante, agora, devido a uma informação revelada pelo próprio. Em recente entrevista à revista Kerrang, o vocalista contou que estava com problemas físicos durante aqueles shows - e deu um jeito de "enganar" o público com relação a isso, já que ninguém percebeu nada de diferente com ele.

Dickinson destacou que sua perna ficou imobilizada com a bota durante um mês. Depois, ele passou por duas semanas de reabilitação e precisou de quatro meses para, segundo ele, "aprender a andar novamente".

O problema é que a agenda de turnê do Iron Maiden não permitiria que ele tivesse esses quatro meses. Em julho daquele ano, a banda voltou à estrada para uma turnê pela América do Norte, com quase 40 shows até o fim de setembro. Depois, em outubro, veio a turnê pela América do Sul, com três apresentações no Brasil, uma na Argentina e duas no Chile.

Foi necessário, então, jogar com as cartas que tinha. Bruce locomovia-se pelos palcos de forma menos convencional, adaptando-se para cada ocasião - e fazendo de uma forma que ninguém notasse o problema.

Por fim, ele explicou como "fingia" movimentar-se normalmente pelo palco. "Eu estava correndo, mas corria de forma diferente. Aprendi a me mover sem usar os músculos da panturrilha, o que é difícil, mas eu não conseguia fazer nada convencional. Então, eu não conseguia pular e não conseguia correr. Andar rápido era um problema. Mas se você andasse como um caranguejo, estava tudo bem", pontuou.

Percalços à parte, o Maiden concluiu a turnê, sem grandes problemas, justamente na América do Sul. A ideia era voltar à estrada em 2020, em uma nova etapa da tour "Legacy of the Beast" pela Europa, mas a pandemia do novo coronavírus fez com que a banda adiasse seus shows - inicialmente, para 2021; depois, 2022.



Fonte: www.whiplash.net

Sobre Iron Maiden Brasil

Iron Maiden Brasil

0 comentários:

Postar um comentário