[ DOUG SAMPSON ] - As razões que levaram Steve Harris a trocá-lo por Clive Burr


Visto de fora, e certamente tantas décadas após o fato, a demissão do antigo baterista do Iron Maiden Doug Sampson, em dezembro de 1979, pode parecer apenas mais um caso pequeno. Mas muitos fãs que foram testemunhas daqueles anos dizem o contrário.

Claro, desde o início no dia de Natal de 1975, o Iron Maiden teve três cantores, assim como muitos bateristas, meia dúzia de guitarristas e até integrou brevemente um tecladista no meio deles - todos orbitando em torno de Steve Harris, o fundador da banda, força motriz, baixista e verdadeira estrela.

Mas Sampson era um pouco diferente. Sua amizade com Harris datava de tempos anteriores ao Maiden e uma passagem compartilhada por um grupo esfarrapado de roqueiros de pub do East London chamado Smiler. Em 1977, quando Harris estava lutando para manter uma formação estável do Iron Maiden, foi Sampson quem ele chamou para ajudar a reforçar a seção rítmica da banda.

Com Sampson, o Maiden - agora tendo Paul Di'Anno como vocalista e reforçado pelo talento do guitarrista Dave Murray - começou a ganhar impulso ao longo do próximo ano e meio. Esse período testemunhou os primeiros sinais de uma nova onda, a famosa NWOBHM, para a qual o marco zero foi Heavy Metal Bandwagon Soundhouse do DJ Neal Kay.

Daí o título escolhido para a primeira demo do Iron Maiden, The Soundhouse Tapes - que eles gravaram na véspera de ano novo de 1978 e, posteriormente, lançados em uma série limitada de 5.000 cópias em 9 de novembro de 1979, para deleite de sua crescente base de fãs. Agora, com a assinatura na EMI, a carreira do Iron Maiden e a carga de trabalho começaram a acelerar em um ritmo vertiginoso.

E isso acabou levando à ruína de Sampson. Quando o trabalho começou nas sessões para a estréia auto-intitulada do Iron Maiden (a ser lançado em 14 de abril de 1980), Steve Harris tornou-se cada vez mais preocupado com a resistência de seu baterista, quando problemas de saúde começaram a afetar as performances de Sampson. Isso não era um bom presságio para uma agenda cansativa de turnês que já estava se reunindo para o ano seguinte.

Depois de suportar, por sua própria admissão, algumas noites sem dormir sobre o assunto, Harris tomou a difícil decisão "comercial" de remover seu velho amigo do Iron Maiden, substituindo-o oficialmente apenas quatro dias depois pelo novo baterista Clive Burr.

Por sua parte, Doug Sampson admitiu que estava com o coração partido no momento em que foi demitido, mas também ficou um pouco aliviado, pois também ficou inseguro sobre sua capacidade de lidar com as dificuldades que o Iron Maiden esperava. E, pelo que vale, os fãs dedicados do Maiden nunca se esqueceram de Sampson ou de suas contribuições para a ascensão do grupo. Além de The Soundhouse Tapes, ele também gravou versões de "Sanctuary" e "Wrathchild" (na compilação Metal for Muthas), bem como a bela "Burning Ambition" do primeiro single da banda "Running Free".


A editora Valentina anunciou a pré-venda de "2 Minutes To Midnight", o atlas ilustrado do Iron Maiden. A obra, descrita como "o definitivo e mais completo guia sobre a banda", está em pré-venda na Nerd Store.





Sobre Alexandre Temoteo

Alexandre Temoteo

0 comentários:

Postar um comentário