[ GYPSYS KISS ] - Entrevista exclusiva para o Iron Maiden Brasil Notícias



Que Steve Harris é uma unanimidade na história não somente do Heavy Metal, mas da música, todos nós sabemos. Mas toda essa trajetória de Steve teve um início, que já foi dissecado em vários documentários, biografias, etc. Mas resolvemos ir um pouco além, e decidimos conversar com David Smith, fundador do Gypsy's Kiss e testemunha viva do nascimento de Steve Harris para o mundo da música. David nos conta detalhes a cerca da época, influências musicais e planos para a banda, haja vista que eles retornaram em 2018. Confiram:

01. Em primeiro lugar, gostaria de dizer que é uma grande honra ter a chance de realizar esta entrevista histórica. Vamos começar no início. Quando e como o Gypsy's Kiss se formou?

Steve Harris e eu fomos juntos à escola (Leyton County High School for Boys) e moramos perto um do outro também. Nós dois éramos fãs de música, essencialmente Rock e Rock Progressivo e nossas bandas favoritas eram Deep Purple, Led Zeppelin, Free, Jethro Tull, Robin Trower, Black Sabbath, Pink Floyd e Genesis e ambos torcedores fanáticos do West Ham. Quando deixamos a escola em maio de 1973, a primeira coisa que queríamos fazer era formar uma banda. Eu tocava guitarra há cerca de 2 anos, mas Steve estava apenas começando a tocar baixo. Eu o ajudei a escolher seu primeiro baixo e dei algumas lições básicas, mas ele aprendeu rápido. Formamos o Influence em 1973 (com alguns amigos e amigos de amigos) que se tornou o Gypsy's Kiss no início de 1974.



02. Recentemente, você anunciou o lançamento de um EP e lançou algumas músicas, como "Influence", "Heat Crazed Vole" e "Endless Pit". Como foi recebido pelos fãs?

O EP foi muito bem recebido e estamos absolutamente encantados. Teve boas críticas e algumas reproduções de rádio razoáveis ​​(tanto no Reino Unido quanto no mundo). Das quatro músicas legadas que escrevi em 1973/74 (que a banda original tocou), "Influence" foi o single lançado em agosto de 2019 e as outras três ("Heat Crazed Vole", "Gypsy's Kiss (What Went Wrong)" e "Endless Pit" estão no EP, juntamente com uma versão ao vivo de "Heat Crazed Vole" e uma nova música ("Settle the Score") que escrevi com Jonathan Morley (outro guitarrista do Gypsy's Kiss) .Temos várias outras músicas novas, gravadas ou sendo escritas, para o nosso álbum de estréia, lançado em março de 2020.



03. O Gypsy's Kiss é bem conhecido pelos fãs do Iron Maiden por ser a primeira banda de Steve Harris. Você viu já naquela época que ele era um músico diferente?

A versão de 1974 do Gypsy's Kiss era uma boa banda e Steve rapidamente se tornou um bom baixista. Ele não havia escrito músicas para nós na época, mas ele estava muito interessado em começar a escrever. Para ser sincero, porque havia tantas bandas / músicos bons na época, não achamos que conseguiríamos (ou ele). O que realmente chamou a atenção de Steve naquela época (como agora) foi sua determinação. Ele trabalharia e trabalharia para dar a si e à sua banda todas as oportunidades de sucesso. Eu sempre admirei isso nele.

04. "Endless Pit" deu origem a "Innocent Exile" no álbum "Killers" (1981) do Iron Maiden. Existem outras faixas do Maiden que foram compostas com você?

Eu escrevi "Endless Pit" em 1974, mas Steve levou a música para o Maiden e a reescreveu para se adequar melhor ao Iron Maiden, então eu não tenho, (ou quero) nenhuma reivindicação sobre isso. Eu realmente acho que Steve levou o estilo do Gypsy's Kiss para o Maiden Eu gosto de pensar que, se não houvesse um Gypsy's Kiss, não haveria o Iron Maiden. Estamos orgulhosos em estar no topo da árvore genealógica do Maiden.

05. O que levou a banda a encerrar as atividades em 1974?

Nós éramos jovens (eu 19 e Steve apenas 18) e estávamos trabalhando duro. Como todos os jovens, Paull Sears (baterista) e eu queríamos ir a festas e sair com garotas, e Steve queria continuar trabalhando duro na banda e ser profissional imediatamente. Mas Paull e eu tínhamos outros empregos (para pagar o aluguel) e nós (muito tristemente) nos afastamos e concordamos em seguir caminhos separados em bons termos. Na última entrevista, Steve sempre diz que foram 'Diferenças Musicais', mas acho que ele estava sendo gentil!

06. O Gypsy's Kiss fez um retorno triunfante em 2018, após 44 anos. Como foi esse processo de retorno?

Me pediram muitas vezes ao longo dos anos para reformar o Gypsy's Kiss, mas sempre resisti, pois senti que deveria permanecer no passado (e eu participei e sempre participei de outras bandas). Mas em 2018, o evento Burrfest me pediu para nos reunirmos a fim de tocar para a caridade. Adoramos e concordamos em fazer mais alguns shows de caridade. Agora concordamos em torná-la nossa banda principal - estamos de volta !!!!!!!

07. Existe uma grande diferença entre o som que você fez nos anos 70 e o som feito hoje?

Na verdade não. Além de adicionar teclados para obter um som mais completo, acho que ainda tentamos tocar com o espírito do rock dos anos 70 (e Rock Progressivo) em que crescemos. Felizmente, as pessoas ainda parecem gostar.

08. Você ainda mantém contato com Steve Harris?

Sim, eu sempre fui amigo de sua família e vejo sua irmã Linda com bastante frequência. Eu a conheço também desde 1974! Vi Steve pela última vez no último show do Iron Maiden no Reino Unido na O2 Arena em Londres. Conversamos e ele desejou boa sorte ao Gypsy's Kiss. Ele ainda é um cara legal e o colega de escola que eu tinha no início dos anos 70.

09. Podemos ver uma performance histórica do Gypsy's Kiss com Steve Harris como convidado especial?

Quem sabe? Alguns anos atrás, Steve veio com outros ex-membros da banda do Gypsy's KissK, Paull Sears e Bob Verschoyle, para ver minha banda na época (The Front Covers). Foi uma ótima noite e eu convidei Paull e Bob para entrar no palco para os bis, mas achei que Steve talvez não quisesse. Ele disse no final que teve uma ótima noite, mas desejou que eu o convidasse para tocar. Foi um momento que perdi para reunir a formação clássica do Gypsy's Kiss.

10. Após o lançamento do EP, quais são os próximos planos de Gypsy's Kiss?

Estamos fazendo shows, planejando turnês (com outros ex-membros do Iron Maiden), e escrevendo e gravando para o nosso álbum de estréia, esperado para março de 2020. Estamos de volta dessa vez!

11. Mais uma vez, obrigado pela oportunidade. Agora deixo o espaço para você deixar uma mensagem para os fãs brasileiros.

Eu sei que o Iron Maiden é imensamente popular no Brasil e sou muito grato (como são as outras pessoas no Gypsy's Kiss) que tantas pessoas se interessaram pelo Gypsy's Kiss e gostaram da nossa música e se tornaram fãs. Os brasileiros conhecem muito bem a música (principalmente o Rock), por isso estou muito lisonjeado com isso. Eu adoraria visitar o Brasil em breve (muito em breve!) e poder até tocar lá. Mais uma vez obrigado - O Gypsy's Kiss ama o Brasil!








Sobre Alexandre Temoteo

Alexandre Temoteo

1 comentários: