[ PAUL DIANNO] - O primeiro Frontman dos álbuns do Iron Maiden faz aniversário - PARTE I

O primeiro Frontman dos álbuns do 

Iron Maiden faz aniversário 

 PARTE I



Eu tenho um irmão de quase 50 anos que sempre foi o chamado “Ovelha Negra” da família. Ele sempre foi o transgressor da família. Passeou pelo Rock, Metal, Punk e as mais incríveis lembranças que eu tenho dele na infância eram os discos de metal que ele ouvia nos anos 80, enquanto eu brincava de boneca à porta de seu quarto. Ele sabia o quanto eu era atraída por aquele som pesado, sujo e barulhento. Mas eu ainda estava meio apegada ao meu disco do MENUDO,(uma banda pop de jovens dançarinos da época).

Foi então, que um certo dia, ele chegou em casa e quebrou o disco do Menudo sem que eu visse , colocou um do KISS no lugar.

Quando descobri, fui furiosa até ele e quando o vi, ele estava radiante, com uma camisa preta com desenho em branco do KILLERS (segundo álbum do Maiden). A imagem do meu irmão ouvindo Iron Maiden tão feliz e com aquela camisa linda, me fez parar um instante e tentar entender porque ele queria que eu soubesse que aquilo era mesmo música de verdade.




Já estávamos mais ou menos no meio da década de 80 e ouvíamos Poweslave, mas ele veio me falar de Paul Dianno. Fiquei meio sem entender, e então ele falou comigo de Sex Pistols e sobre os punks, e sobre como Dianno pertencia à esse clã, de alguma forma. Mas eu era criança demais para entender, no entanto, eu jamais me esqueceria. Então ele desceu do sótão, que guardava como um esconderijo para a mamãe não ver, muitos vinis e fitas cassete de preciosidades do Rock e Metal: Dio, Black Sabbath, WASP, Uriah heep, Van Hallen, Judas Priest, Accept, e outros e ficamos ali ouvindo e vendo encartes. Como era gostoso o cheiro do disco, dos encartes e retirar o plástico...

Fiquei completamente apaixonada pelo Maiden. Ele também era. Mas eu sei que o que ele mais gostava no Maiden, era o tal DIANNO. Ele dizia que a voz dele tinha um grito sujo, a postura dele era de um cara de anarquista, então meu irmão falou dos Punks, dos Hooligans e sobre a Inglaterra. Ele dizia que essas coisas boas vinham de lá...o Punk e o Metal. Mas falou também que em Belo Horizonte, uns caras já faziam metal...O Sepultura, o Mutilator, Sarcófago, o SexTrash, e outras bandas da época.


Cresci vendo o meu irmão ser anarquista de toda sua vida. Um ser inimaginavelmente transgressor. Maluco até demais, com sua bateria, com sua tatuagem, com sua postura. Infelizmente ele teve alguns problemas que ficaram à ganhar mais espaço e hoje ele recebe cuidados. Mas ele sempre foi meu melhor amigo na infância e adolescência.

E lembro quando ele veio falar de Blaze Bayley comigo, disse que era o novo vocalista do Iron Maiden, depois de Bruce Dickinson. Isso era isso em meio aos anos 90. Mas ele disse: “Nunca vai ter alguém como Paul Dianno” Minhas memórias sempre fervilham, quando me lembro dele falando como era importante para uma banda, um cantor que tivesse a postura do Dianno..,

Ele continuou: “ O verdadeiro rock n roll não é agradável para as pessoas. Ele mexe com as pessoas. Sua mãe e seu pai não vão gostar. Mas você vai se sentir em contato com aquilo. E o Paul Dianno era assim. Fez o Punk inacreditavelmente,  se transformar em metal!

O tempo passou, e hoje eu posso dizer ao meu irmão, que tive a chance de entrevistar o Paul Dianno que hoje faz 60 anos. Minha homenagem ao meu influenciador, irmão e amigo. Querem ver o que Paul, me contou? LEIA A PRÓXIMA PUBLICAÇÃO


Sobre Verônica Mourão

Verônica Mourão

1 comentários:

  1. Sensacional! Paul é mesmo a mistura perfeita de duas coisas que amo - o punk e o metal, tanto na sonoridade quanto na atitude. Adorei essa matéria e estou super ansiosa pela segunda parte! Parabéns ao nosso frontpunk!

    ResponderExcluir