[BRUCE DICKINSON] - Entrevista COMEBACKSTAGE - Traduzida

"As pessoas vão pagar por um livro, mas não vão pagar por um álbum"




O cantor falou sobre a luta que os novos músicos enfrentam na sequência de downloads ilegais e serviços de streaming ilegais.

Segundo ele, os músicos começaram a enfrentar um clima diferente do que ele teve.

Ele atacou os fundadores do Napster, o serviço de compartilhamento de arquivos que permitiu que os fãs baixassem música gratuitamente no final dos anos 90.

"Os músicos que começam hoje têm um trabalho difícil, na verdade, porque o download digital, bem, não o streaming de hoje, mas o resultado do que a Napster fez, e coisas assim", disse ele ao blog.

"Mesmo que o download seja agora um tipo de mainstream, a Napster destruiu o conceito de música com algum valor - o que é terrível.

"Eu acho que o cara [que fundou o Napster] deveria estar preso, talvez ele tenha sido, ele merece ser. Foi um ato de pura destruição egoísta ".


Napster foi fundado por Sean Parker, Shawn Fanning e John Fanning em 1999, antes de ser encerrado em 2002. Parker passou a se tornar um investidor inicial no Facebook e ele trabalhou no quadro da Spotify, antes de desaparecer em junho do ano passado .

"Para uma banda como nós, na verdade, ainda fazemos gravações, mas acreditamos na pratica que não ganhamos dinheiro para fazer um álbum", continua Dickinson.

"Nós ainda fazemos porque temos que fazer, porque adoramos e temos que fazer música nova. Mas a grande coisa conosco é que podemos fazer turnês e ganhar dinheiro para realizá-lo ao vivo. Outras bandas, bandas que estão chegando fazendo ótimas músicas, não conseguem esse luxo."


"Pessoas que são músicos brilhantes não são pagas por fazer trabalhos incríveis".

Ele pergunta: "Por que as pessoas vão pagar por algo, menos música".

"Recebo o pagamento quando vendem uma [cópia do meu] livro. A diferença é que eu tomei dois meses e meio para escrever este livro, e eu recebi um royalty e, na verdade, é muito razoável, é muito justo ", diz o cantor sobre suas memórias, 'What Does This Button Do? ', que foi lançado em outubro de 2017.

"Se este livro fosse um álbum e demorei dois meses e meio, eu teria que distribuí-lo, porque as pessoas vão pagar por um livro, mas eles não comprarão um álbum. Isso é muito triste e está errado.

"Agora, eu não sei para onde vamos chegar no futuro. É possível que o mundo do download digital comece a cobrar um pouco mais de dinheiro e os artistas serão pagos um pouco mais."

Nota IMB: 
O Iron Maiden é tão antigo quanto o auge do LP, do CD e das fitas cassetes. Este tipo de gravação era extremamente valorizado e hoje não mais, pois a música tornou-se algo de total e fácil acesso, como nos serviços de streaming e o youtube, vimeo...etc. A crítica é dura porque também se refere as dificuldades contratuais que ele vê na carreira de seus filhos, Austin e Griffin que têm tentado à todo custo parcerias com gravadoras de forma justa e enfrentam dificuldades para a venda de seus trabalhos. São outros tempos e isso com certeza incomoda o papai Dickinson, afinal, ele já tem a carreira já sedimentada no mercado musical.


Sobre Verônica Mourão

Verônica Mourão

5 comentários:

  1. Realmente, ficou tão fácil conseguir música, que fica difícil algo novo chamar a atenção da maioria das pessoas.

    ResponderExcluir
  2. Só que após de 20 anos não adianta reclamar. Quando estava no início e tinham mais bandasbcandas ele defendeu o napster.

    ResponderExcluir
  3. Os tempos mudaram. Antes se fazia dinheiro fácil com música. Era lançar uma música , se fizesse sucesso o cara ficava rico. O mais difícil na época era conseguir fazer a música e mostrar ao povo. Na minha casa só tinha um rádio. E os lps, fitas e etc eram muito caras. A tecnologia trouxe mais acesso a tudo. E ele tem que aceitar isso. Gosto muito do Bruce. Vou em shows dele. Hoje se o artista quiser ganhar dinheiro tem que fazer shows. E isso é bom para que a maioria posso desfrutar dos shows. Coisa que em tempos atrás não era comum.

    ResponderExcluir