[PAUL DIANNO] - Fotos que estampam as características polêmicas do vocalista


Houve um tempo na Inglaterra que os jovens estavam fatalmente determinados a manifestar artisticamente. Essa época é precisamente a década que comportam entre os anos 50 aos anos 80. Essa manifestação artística deu-se especialmente pela música, a música que seria capaz de fazer esquecer toda a desgraça da Segunda Guerra Mundial, para tirar o grito de dentro das gargantas dos filhos de soldados ou seus descendentes. Mas foi na década de 70 que os subúrbios de Londres viriam trazer todo tipo de personagens e artistas; entre eles o irreverente PAUL DIANNO para gravar o EP The Soundhouse Tapes, e em 14 de abril de 1980 o disco que contém o hino “Iron Maiden” por todo o sempre em todos os shows da banda.



 Paul Dianno, figura que oportunamente entraria numa banda que trazia um novo conceito de rock (antes chamado de hard rock por Steve Harris), era o melhor que podiam oferecer naquele momento em que a semente plantada, começava a geminar.  Era a mesma época em que Saxon e Def Leppard faziam um som que tinha tudo para acontecer e então poderem brindar as origens do New Wave of British Heavy Metal.

É possível ver críticas na execução do primeiro álbum da banda e exaltando Killers. Ambos contaram com a performance de Dianno, mas é fato que as coisas na carreira do Maiden tiveram uma natural evolução. E por soar com pegadas tão “Punks” o maluco que cantava, paquerava mulheres e se metia em confusões nas ruas de Londres; poderia ser um tempero incrível para uma banda que ainda não tinha uma imagem ainda definida musicalmente.


No entanto, a irreverência de Dianno atingiu proporções que beiram a beleza e a tragédia com a mesma energia. Vejam fotos que demonstram claramente o que era este personagem nos derradeiros primeiros anos 79-81 da banda e seus adjetivos mais pertinentes...

Vaidoso

Estiloso(Steve Harris odiava esse visual)

Charmoso

Elegante

Ídolo

Boa Onda

Punk

Homem dos Excessos

Frontman

Galã


Rebelde

Transgressor

Boa voz



Esta era uma época que teve sua importância e Dianno foi predominante para imprimir à banda uma identidade. parte de tudo que compõe os primórdios da maior banda de heavy metal de todos os tempos. Infelizmente, aquela voz rouca e cheia de personalidade iria dar lugar a Bruce Dickinson e seu poder sobrenatural.



E é fato de que depois de sair da banda, mesmo no futuro ter continuado a cantar e ter projetos solos; todo o brilho de Paul ficou mesmo pregado nas paredes do passado. Hoje temos todo tipo de relato que infelizmente o leva para um patamar bem mais inferior, mas temos que ainda assim, valorizar a importância dos primeiros passos do Iron Maiden, com todos aqueles personagens que viriam antes de Dickinson, Adrian, Janick. 

Temos que valorizar a imponência da juventude transviada eternamente estampada no final dos anos 70 e inicio dos 80. A fase áurea de Paul Dianno...


O tempo passou para Dianno. As doenças e limitações, nunca o deixaram de ser tão Punk Rock como gostaria, mas a idade e os processos de adaptação no mercado fonográfico foram a eterna luta pela atitude x mercado. 






Mas naqueles tempos onde a inocência pairava no sonho do Iron Maiden, há bem mais boas recordações de algo que jamais será apagado ou deixará de ser admirado e respeitado pelos fãs. 

Espero que Dianno melhore sua saúde e a forma de se comunicar com os fãs. Porque ainda há presente. Ainda há espaço para vida e anarquia, mas os tempos são outros...

.




Sobre Verônica Mourão

Verônica Mourão

0 comentários:

Postar um comentário