[BRUCE DICKINSON] - Saiba a opinião de Bruce sobre "Scream for me Sarajevo"


Em 2015, Bruce foi à Bosnia para encerrar o documentário que já está sendo lançado no Canadá como visto na postagem anterior. Clique aqui para conferir! Mas a sua estréia real foi no 22º Festival de Cinema de Sarajevo.

Essa viagem feita pelo vocalista com sua banda na época da turnê de Skunkworks em 1994 foi uma oportunidade rica de estar em contato com uma guerra cruel, real, sangrenta e ainda sim, arriscar-se em levar a música e uma mensagem de paz para todos aqueles jovens que mereciam qualquer coisa, menos fazer parte daquilo que parecia ser um pesadelo interminável.

No final da gravação do documentário, Bruce disse que estava feliz por estar de volta a Sarajevo: “Esta é a última vez para terminarmos o filme", ​​disse Dickinson, desde que realizou o projeto na época com Alex Dickinson, Chris Dale e Alex Elena. Veja a entrevista dada para o Aebyss Radio..



"Quando chegamos aqui, não percebemos que nossos fãs estavam no público, mas apenas pessoas. Queríamos participar de um concerto para aquelas pessoas que viviam sob cerco. Descobrimos que tínhamos fãs na platéia. A história de "Scream For Me Sarajevo" é muito longa"




"As tropas da ONU nos deixaram em Split. Ainda assim, com a ajuda não oficial e desinteressada de indivíduos do Exército britânico e da Serial Road Trip, enfiamos  o equipamento em um caminhão e dirigimos a Sarajevo. Encontramos Igman, que teve uma grande batalha antes disso. Tivemos várias aventuras, mas fizemos um show que mudou a vida das pessoas."




 O show mudou a minha vida, minha banda
 e mexeu com a minha cabeça por um longo tempo,
 de uma maneira positiva " 




"Nós queríamos era deixar as pessoas em Sarajevo saberem que alguém se preocupa com eles e há um futuro para Sarajevo, apesar do massacre e do horror que a cidade viveu", ressaltou ele





"Sarajevo estava no início de uma grande guerra, e não acho que seja necessário celebrar coisas terríveis, mas elas precisam ser lembradas. Eu não quis interferir na política porque eu não era um político, não me misturei no exército porque não carrego um rifle, mas o que eu posso fazer como músico é dar esperança às pessoas ", disse Dickinson, comparou a situação em 1994 com a realidade mundial hoje em dia .




"Os jovens convivem e contam o número de mortes. Eles celebram o sofrimento. Se você ver as crianças que as seguem, você descobrirá como eles são estúpidos e como é linda sua vida. Se todos os soldados tivessem 35 anos de guerra, não haveria isso- porque ninguém seria tão estúpido "




"Sempre há uma alternativa, há coisas que são muito melhores 
do que bombardear em algum lugar", 
o que eu posso fazer como músico é dar esperança às pessoas "



Dickinson falou dos atentados atualmente no mundo:

"Eu vou tocar, não importa o quê. Deve existir cuidados para as pessoas que não têm escolha. Nós simplesmente estávamos loucos para ir a Sarajevo e rapidamente sair do show. Os pobres que foram em locais como o Bataclan (bar de rock que sofreu atentado em 2015 em Paris), não tiveram escolha, eram inocentes. Ninguém sabia que esse lugar seria o alvo do ataque. Simplesmente, você sempre deve dar às pessoas a esperança de continuar "





Leia:
A Guerra da Bósnia foi o resultado de uma complexa combinação de fatores, envolvendo questões políticas e religiosas. As proporções de um conflito que envolvia as consequências do fim da Guerra Fria, misturadas com fervores nacionalistas, resultaram no envolvimento de mais países, caso de Croácia, Sérvia e Montenegro. Estabeleceu-se uma discussão em torno da razão de ser do conflito, se seria uma guerra civil ou uma guerra de agressão.
O conflito envolveu três grupos étnicos e religiosos típicos da região. Depois da Segunda Guerra Mundial, a Guerra da Bósnia se tornou o conflito mais longo no território europeu. A disputa entre sérvios cristãos ortodoxos, croatas católicos romanos e bósnios muçulmanos teve início em abril de 1992 e deixou um rastro de aproximadamente 200 mil vítimas. O conflito só chegou ao fim em dezembro de 1995 quando os sérvios, com a capital ameaçada, assinaram o Acordo de Dayton, na cidade de Paris, estabelecendo o armisticio.

Fonte: http://www.infoescola.com/historia/guerra-da-bosnia/



Sobre Verônica Mourão

Verônica Mourão

0 comentários:

Postar um comentário