[ IRON GANG ] - Conheça a história do primeiro fã clube do Iron Maiden em Fortaleza


Fã Clubes são e sempre foram espaços especiais, onde os admiradores de determinado artista podem se juntar e trocar ideias e materiais diversos. E dessa maneira, dessa experiência, alguns fã clubes tornam-se extremamente lendários e inesquecíveis na memória dos fãs.

O Iron Maiden Brasil Notícias teve acesso a uma bela história de um desses locais de reunião de fãs da Donzela na cidade de Fortaleza. Conversamos com Lucas Junior, fundador do "Iron Gang", considerado o primeiro fã clube oficial dedicado ao Iron Maiden na cidade. Nesse bate papo, "Powerhead", como Lucas é conhecido, nos traz um belo resumo dessa história. Confiram:


Como nasceu o Iron Gang?

De um momento inesquecível do heavy metal. Vínhamos do primeiro Rock in Rio e a nossa música estava na veia. Éramos alucinados, comprávamos o que podíamos, e naquele momento fazia-se necessário o maior número de fã-clubes, afinal Fortaleza fervilhava de bangers, mas os contatos eram difíceis.



Segundo a nota, o fã-clube existia em junho de 1985, mas nos parece que você, naquela época, já fazia parte do True´s Metal Fan Club.

O True´s surgiu a partir da concentração dos poucos bangers que se reuniam na minha residência, na rua Aquiles Beviláqua, 78, na Piedade (bairro de Fortaleza). Meu quarto-estúdio possuía a estrutura perfeita para um fã-clube, por isso ele existia desde 1984, comigo, Jander, João Carlos e o Ferré. Já o Iron Gang foi um projeto paralelo, com a mesma turma, mais o Bremen e o Rogério Kiko.

Mas ambos fã-clubes de heavy metal.

Diferenciado. O Rock Brigade, que nos influenciava, já que éramos menores e de poucos recursos financeiros, surgiu com o foco de ser um fã-clube do Black Sabbath, não teria o nome de uma música do Def Leppard. Mas os dois fundadores, com a hegemonia de material importado invejável, optou por um fã-clube de metal pesado, porém com o Sabbath na cabeça. Nós procuramos fazer do Iron Gang um fã-clube do Iron Maiden numa visão da NWOBHM, ou seja, juntando com Judas, Saxon e tal. O True´s ficaria com o Thrash Metal.

O Iron Gan Club of Headbangers foi um fã-clube do Iron Maiden?

Quem frequentou a minha casa sabe que a maioria do material era do Iron Maiden, posters enormes, todos os discos que eram lançados, os K7 com os piratas, como a demo “Soundouses Tapes”, era a banda de quem possuímos mais novidades, e o Kiko nos ajudou muito nesse sentido. Raridades tinham um destino: fã-clube. 

Ficou registrado algo do Iron Gang?

Apenas no nosso coração. Nem uma foto, que era artigo de luxo, apenas esse anúncio com o número do meu telefone. Tínhamos como objetivo lançar os informativos (não se usava o termo fanzine na época) dos dois, True´s e Iron Gang. Havia, claro, o problema financeiro. Nos reunimos, eu João Carlos, Jander e Ferré, tendo como prioridade o lançamento do True´s , diante de uma campanha de arrecadação financeira, para pagar o xerox e custear as postagens dos Correios, pois foi distribuído em todo o País, inclusive para os garotos do Sepultura. Pegou, lançamos o primeiro número em agosto e o segundo em outubro, já com o Nertan e seus traços maravilhosos. 



Ou seja, faltou grana para o projeto paralelo do Iron Gang.

Exato. No segundo número caprichamos com Iron Maiden, já sem esperança de lançar o Iron Gang. Mesmo com o apoio dos sócios, não era suficiente. Vivíamos da ajuda financeira dos pais e a continuar naquela situação, no prejuízo, já não comprávamos materiais novos. Sou um exemplo, vendia mais que comprava. Então pusemos o Iron Gang de lado e ficamos com o True´s.

Naquela época, com o apogeu do thrash, death e black metal, o Iron Maiden continuava forte em Fortaleza?

Claro, nossa paixão por Venom, Slayer, Metallica, Exciter, Destruction, Kreator, por exemplo, nunca nos separou do Iron Maiden, sempre foi uma marca na nossa paixão. Mesmo diante de alguns discos ruins, não tínhamos dúvidas da volta por cima, um exemplo no verdadeiro metal.


Sobre Alexandre Rodrigues Temoteo

Alexandre Rodrigues Temoteo

0 comentários:

Postar um comentário