Bruce Dickinson: Ajudando uma companhia aérea Africana


Para as maiores bandas de rock do mundo a pequena nação do Leste Africano de Djibouti não costuma aparecer em seus itinerários. Situado entre a Somália e a Eritreia, à entrada do Mar Vermelho, o país quente e árido raramente aparece nas listas de datas de digressão globais.

No entanto, há uma estrela de rock multimilionária que recentemente voou para a cidade - Bruce Dickinson, vocalista da banda de heavy metal Iron Maiden.


Em vez de realizar um concerto, Bruce de 56 anos, estava em Djibouti por causa de seu outro trabalho - como proprietário de uma empresa aérea.


Um piloto qualificado, Sr. Dickinson passou os últimos 16 anos fazendo malabarismos com seus compromissos no palco e no estúdio de gravação, com uma segunda carreira pilotando aviões comerciais; em 2012 ele criou uma empresa chamada Cardiff Aviation.


Com base no sul do País de Gales, a empresa fornece manutenção, treinamento e suporte operacional para uma série de companhias aéreas. A visita ao Djibuti foi para Sr. Dickinson assinar um acordo com o governo do país para ajudar a relançar a antiga empresa aérea da nação - Air Djibouti.A companhia aérea entrou em liquidação em 2002, depois de anos de má gestão e excesso de pessoal.




Air Djibouti já está definida para levar para o céu novamente ainda este ano, com Cardiff Aviation abastecendo as aeronaves e ajudando a executar a operação. Sr. Dickinson diz que espera que a transportadora relançada vá ajudar a aumentar a consciência da nação Africana.


"Djibouti é um país incrível, mas muitas pessoas não sabem sobre isso", diz ele.


"A companhia aérea nacional tem um papel de embaixadores onde quer que voe." - Crítica do Governo! 


Ex-colônia francesa, o país já é também o lar de grandes instalações militares francesas e norte-americanas. O interesse no estrangeiro em Djibouti é graças em grande parte à sua localização estratégica no Corno de África, na entrada para o Mar Vermelho, uma das linhas mais movimentadas do mundo do transporte.


O desenvolvimento de novos aeroportos é, obviamente, particularmente boa notícia para Air Djibouti, especialmente porque os voos comerciais dentro e fora do país atualmente tem que usar um aeroporto abarrotado e compartilhado com os militares dos EUA. O relançamento da Air Djibouti vem como a economia do país continua a desfrutar de um investimento significativo da China.


As empresas chinesas estão a gastar US $ 12 bilhões (R $ 7.6bn) para construir nada menos que seis novos portos no país, uma linha ferroviária desbloqueando o acesso vizinho da Etiópia, e dois novos aeroportos. O governo chinês também informou ter planejando construir uma base militar no Djibouti.



Fonte: http://www.bbc.com/news/business-33239851

Sobre Danilo Pacheco

Danilo Pacheco

0 comentários:

Postar um comentário