Paul Di'Anno: Circo Voador - 12/04/2015

Por Fabricio Fernandes para o Iron Maiden Brasil
A noite do último domingo, dia 12 de abril, foi mais uma daquelas para eu guardar com carinho na minha galeria de shows de Rock/Metal. 
Já havia assistido ao Paul antes, no próprio Circo Voador, mas dessa vez foi como se eu estivesse com um amigo de vários anos ouvindo um som pesado e bebendo umas cervejas. Não que eu conheça o Paul, muito pelo contrário. 

Tirei uma foto com ele no backstage antes do show, e só. Mas, durante a performance, em que ele teve que cantar sentado devido a um problema no joelho, o cara simplesmente conversava com o público entre as músicas de modo intimista como poucas vezes vi em um show de Rock. 

Nos chamava de família e perguntava que músicas gostaríamos de ouvir, sem perder a irreverência e a acidez dos comentários, sobretudo quando dirigidos ao atual regime político brasileiro, e à crise econômica que estamos vivendo. Algum mané pediu "The Trooper", e foi a deixa pra ele dar uma esculachada com toda fineza que lhe é peculiar. As músicas? Cara, todos os principais clássicos dos dois primeiros álbuns rolaram, com destaque, na minha opinião, para Phantom of The Opera, Killers, Running Free e Charlotte the Harlot. A banda estava impecável(inclusive quando tocaram as instrumentais Ides of March, Transylvania e Genghis Khan). 

Paul a todo momento dizia que estava triste e deprimido por estar se apresentando sentado e sentindo muita dor, mas que nunca nos deixaria na mão, pois somos a sua família: "Brazil is my family"! Mas aí ele dava mais um gole no Jack Daniels ou na cerveja que ficavam na mesinha a sua frente(o que deu ainda mais a impressão de estarmos em um buteco qualquer com nosso "velho amigo" Paul Di'Anno) e detonava! A voz um pouco mais rouca e grave do que na época dos dois primeiros álbuns, mas com a mesma agressividade e carisma de sempre. 

No final, covers de Ramones(com a participação do baixista da banda carioca AC/DCover, Monstro) e Sex Pistols pra não perder a alma Punk que ele sempre teve. Só tenho a agradecer a esse cara por todo carinho e disposição, e por poder cantar junto tantos clássicos do Iron Maiden, de uma era inesquecível da maior banda de todos os tempos. Thank you, Paul! Come back soon, please!




Sobre Iron Maiden Brasil

Iron Maiden Brasil

0 comentários:

Postar um comentário