BLAZE BAYLEY: PROMISE AND TERROR TOUR 2011 - COBERTURA

Acompanhe: 
DIÁRIO DA TOUR NA AMERICA DO SUL 2011 
INFORMAÇÔES SOBRE OS SHOWS ( PREÇOS E LOCAL ) 
RESENHAS (RJ,MACAÉ)

Catanduva - SP - 22/01/2011
Fotos: em breve
Set List:
Blackmailer
Como Estais Amigo (Iron Maiden cover) (tocou apenas uma palhinha)* Veja video abaixo
Smile Back at Death
Faceless
Waiting For My Life to Begin
City of Bones
Voices from the Past
Surrounded by Sadness
The Trace of Things That Have No Words
Letting Go of the World
Comfortable in Darkness
Futureal (Iron Maiden cover)
The Launch
Blood and Belief
The Clansman (Iron Maiden cover)
The Brave
Watching the Night Sky
Madness and Sorrow
The Man Who Would Not Die
Samurai
Man On The Edge (Iron Maiden cover)




SÃO PAULO - SP - 21/01/2011

Fotos: Em Breve
Set List:
1 - Blackmailer
2 - Smile Back and Death
3 - Faceless
4 - Waiting for My Life to Begin
5 - City of Bones
6 - Voices from the Past
7 - Surrounded by Sadness
8 - The Trace of Things That Have No Words
9 - Letting Go of the World
10 - Confortable in Darkness
11 - Futureal (Iron Maiden cover)
12 - The Launch
13 - Blood and Belief
14 - The Clansman (Iron Maiden cover)
15 - The Brave
16 - Watching the Night Sky
17 - Madness and Sorrow
18 - The Man Who Would Not Die
19 - Robot
20 - Samurai
21 - 10th Dimension
22 - Sign of the Cross (Iron Maiden cover)
23 - Man on the Edge (Iron Maiden cover)
*Watching the Night Sky e Sign of the Cross de bônus em relação a Campinas
Vídeos:










CAMPINAS - SP - 20/01/2011
Fotos: http://www.flickr.com/photos/55628288@N08/sets/72157625876308822/
Set List:
1- Blackmailer
2- Smile Black and Death
3- Faceless
4- Waiting For My Life To Begin
5- Voices From The Past
6- City Of Bones
7- Surrounded By Sadness
8- The Trace Of Things That Have No Words
9- Letting Go Of The World
10- Confortable In Darkness
11- Futureal (Iron Maiden cover)
12- The Launch
13- Blood and Belief
14- The Clansman (Iron Maiden cover)
15- The Brave
16- Madness and Sorrow
17- The Man Who Would Not Die
18- Robot
19- Samurai
20- 10th Dimension
21- Man On The Edge (Iron Maiden cover)


GOIÂNIA - GO - 19/01/2011
Fotos: http://www.bolshoipub.com.br/galerias/19-01-2011
Set List:
Blackmailer
Smile Back at death
Faceless
Waiting for my life to begin
City of bones
Voices from the past
Surrounded...
The trace of...
Letting go...
Comfortable in darkness
Futureal
The launch
Blood and belief
God of speed
The clansman
The brave
Samurai
The man who would not die
Robot
The tenth dimension
Man on the edge


BELO HORIZONTE - MG - 16/01/2011 Por Jorge Cota


 Toda vez que alguém se atreve a citar o “tradicionalismo”  do mineiro como algo constatável até mesmo em se tratando de público de heavy metal,  este alguém acaba se tornando alvo de pesadas críticas.  Afinal,  foi de Minas Gerais que saiu , nos anos 80, uma das cenas musicais mais brutais , inovadoras e inconformistas de todos os tempos na história do Metal, chegando  a influenciar  toda uma geração de bandas, inclusive no exterior.  O “headbanger” mineiro,  portanto,  jamais poderia ser classificado como  o típico mineiro conservador.  E isso foi o que se constatou no último domingo, 16/01/2011, no Hard Rock Café BH.

 











Estava ali um público selvagem ( no bom sentido ) , adrenalina em alta, prontos para receber  o artista  que desagrada aos conservadores, aos que têm apego exagerado ao passado, aos que não conseguem avaliar uma obra por conta própria e sem desvinculá-la de comparações desnecessárias e aos que se apropriam do cômodo caminho da crítica fácil e sem embasamento.  Quem estava no show não fazia parte destes grupos acima citados. Estava ali o tipo de público que o Messias Blaze Bayley merecia e isso fez com que sua interação  com este público fosse nada menos que perfeita !

Após 3 competentes shows das bandas de abertura, que cumpriram o seu papel aquecendo o público, apresentando seus novos lançamentos, e até levantando algumas polêmicas, eis que o vocalista Blaze Bayley sobe ao palco para conferir mais alguns detalhes, ainda com o baterista - segundo palavras do próprio, ainda não oficializado - Claudio Tirincati , ajustando sua bateria, tudo sem cortinas,  ali na frente de todos mesmo, com a mesma naturalidade e humildade próprias de quem a  poucos minutos atrás havia pacientemente atendido, autografado e tirado fotos com cerca de 250 fãs, um por um. 














Ajustes feitos, sorrisos e sinais positivos a cada grito de seus nomes, os integrantes se posicionam e dão início à Blackmailer, que faz tremer a  Torre em cujo  topo fica a luxuosa instalação do Hard Rock Café. Com uma qualidade  de som ligeiramente acima da apresentada pelas bandas de abertura,  a banda leva os cerca de 600 fãs à loucura, emendando direto  Smile Back at Death ( letras na ponta da língua da galera!)  e Faceless, quando o mosh correu solto. City of Bones e Voices from the Past ( outra favorita do público) vieram em seguida.













Em meio ao tradicional coro de “olê, olê, Bleizê, Bleizê”,  Blaze destaca a honra de estar pela primeira vez na cidade e anuncia a emocionante sequência de faixas do álbum “Promise and Terror” : Sadness Surrounding Me  ( cantanda em uníssono pelo público e brilhantemente pelo mestre), The Trace of Things That Have No Words, Letting Go of the World e Comfortable in Darkness. Vale destacar que, esta sequência - que de acordo com Blaze,  trata de uma história real -  é tão rica em mudanças de clima e a qualidade das 4 composições é tão alta, que provavelmente quem ainda não teve a chance de escutar o álbum que dá nome a esta turnê, deve ter ficado  admirado com o quanto essa sequência funciona bem e é tão bem encaixada dentro do contexto do show. 

 









O show toma ritmo acelerado com Futureal (quando um fã  sobe ao palco e na indecisão sobre o que fazer é arremessado de volta ao público por Blaze) e The launch . Torna-se épico quando se inicia um dos hinos vindos de sua  passagem pelo Iron Maiden, The Clansman. É incrível o poder dessa música ao vivo! Suas partes instrumentais entoadas pelo público, sua explosão no refrão, sua letra inspiradora, mesmo em um contexto diferente daquele para a qual ela foi criada,  e sua mensagem de liberdade inflamada pelo discurso de Blaze antes de iniciá-la. Tudo disso a torna um dos destaques do show. E arrancou lágrimas de alguns marmanjos !


 
 










O show segue com outra música cantada em uníssono pelo público,  The Brave. Em seguida, uma agradável surpresa, Watching the night Sky, última homenagem de Blaze à sua falecida manager e esposa, Debbie Hartland. Esta música ainda não havia sido tocada nesta segunda parte da turnê. A letra,  retratando  a  comunicação post mortem e interdimensional entre o casal através dos olhares simultâneos de ambos  para o céu à noite,  encheram de lágrimas os olhos de Blaze. God of  Speed, onde a voz de Blaze comete um minúsculo deslize que provavelmente passou despercebido por quase todos, é precedida por mais um breve e instigante discurso de Blaze. The Man That Would Not Die começa quebrando tudo, não deixando mais nenhuma pedra (restante) sobre pedra.  Já é outro clássico cuja letra já estava na ponta da língua de todos. Robot dá sequência à  pancadaria. É incrível como a banda está afiada e o maestro incansável. O poder de sua voz, principalmente nos tons médios estava indiscutivelmente absurdo!
 A banda se despede do público, que é apontando por Blaze como sendo um dos melhores de toda a turnê. O público foi filmado e ele já disponibilizou o vídeo em sua página no Facebook. Ele prometeu não se esquecer nunca mais daquele público ali presente. Interessante como as intervenções feitas por Blaze ao longo do show, são sempre relevantes, nos momentos mais oportunos e nunca cansativas. Em um dos discursos ele ressaltou o fato de eles não precisarem mais de gravadoras, empresários, nada além do apoio dos fãs. “Vocês TEM o poder!” Ele esbraveja em agradecimento! 


Retornando para o bis, tivemos Madness and Sorrow e o hit Man of the Edge, com a já tradicional divisão do público em partes para ver qual agitava mais.  Muito mais do que uma simples sensação de dever cumprido, a banda deixa o palco após os agradecimentos, deixando a impressão de que o público de Belo Horizonte havia correspondido e até superado qualquer expectativa por parte da banda, que por outro lado, deu o melhor de si para fazer um dos melhores, senão o melhor show internacional de Heavy Metal que a cidade recebeu neste século, e certamente o show em que público e platéia estiveram tão próximos e em sintonia de toda a história de shows internacionais já realizados na cidade. Não se pode esquecer de agradecer à mobilização feita pelos fãs nas Comunidades Blaze Bayley Oficial e Blaze Bayley – Minas Gerais, nem o apoio incessante de Raíssa Kahn e Tiago Marques, dos sites WWW.blazebayleybrasil.com e  http://imbnoticias.blogspot.com/ respectivamente.  Estão de parabéns também os promotores que apostaram e trouxeram a banda e fizeram uma divulgação maciça, se aproveitando das novas ferramentas oferecidas pelas redes sociais. Que venha a próxima turnê ! Obrigado, Blaze Bayley !
 




                                     

Sobre Tiago Marques

Tiago Marques

5 comentários:

  1. UUHUUUUHHH SHOW FODA UMA DAS MELHORES APRESENTAÇOES QUE JA VI, BLAZE É DEMAIS,SOU O CARECA COM A CAMISA DO SOMEWHERE BACK IN TIMES DA MUSICA TMWWND.YEAAHHH

    ResponderExcluir
  2. PARAbÉNS IMB!

    ótima cobertura!!!!
    vlw!

    ResponderExcluir
  3. Obrigado galera de maceió por nos deixar sem isso!!!!

    ResponderExcluir
  4. Huahauhau mtoo loucoooo

    ResponderExcluir
  5. Show foi foda... a merda foi a banda que tocou antes do Blazão... POSERS DE MERDA!!!!!!!! Aff...

    ResponderExcluir