[ Retrospectiva 2018 ] – O resumo dos principais acontecimentos com a banda e integrantes

RETROSPECTIVA 2018


O resumo dos principais acontecimentos

 com a banda e alguns integrantes





O ano de 2018 foi um período muito importante para a divulgação da figura pessoal do vocalista Bruce Dickinson e um ano um pouco complicado para o baixista Steve Harris. Também foi o ano do anúncio de datas importantes e a expectativa de muitos fãs.

Logo no inicio do ano, em Londres, ao entrevistar o “Steve Loopy Newhouse” – um roadie da banda que trabalhou com eles entre 1978 e 1984, foi  possível chegar um pouco mais perto da história da banda.  Com histórias particulares sobre eles e uma visão da época, Steve nos declarou que suas melhores histórias estão contidas no livro: "The Iron Maiden Years" - Loopy World. Infelizmente, ainda não há edições em Português para venda no Brasil, mas como o recebi autografado de suas mãos, já é possível  traduzi-lo e colocar o material para ser conferido em 2019.





Em seguida, é lançado o a nova cerveja “Trooper Light Brigade” demonstrando claramente que o negócio em cervejaria artesanal ainda tem novos sabores e novas propostas. Será que irão lançar mais? Também outro produto é lançado no mesmo ano: A máquina de “Pimball” personalizada pela banda, e anunciado novidades no jogo Legacy of the Beast, ambos meses depois.




Eis que em fevereiro deste ano, o livro “What Does This Button Do?” é finalmente lançado no Brasil, com o nome "Para que serve este botão?" mas também temos a primeira edição em inglês, com capa dura, mas infelizmente sem um autógrafo do mestre Bruce Dickinson. A venda é grande e gera muita curiosidade em fãs do mundo inteiro e rendeu ao autor várias viagens para o lançamento da obra. No Brasil, ainda não ocorreu* a apresentação com “question and answers” ou a presença para autógrafos. O livro é autobiográfico e foi escrito à mão por Dickinson, especialmente diante de seus repousos forçados em 2015, para o tratamento do câncer HPV, do qual tratou e curou.

*Bruce foi ao Brasil em maio para palestrar no VTEX Day - em outros anos participou do Campus Party, onde fala de administração e marketing para empresários. Sempre aborda temas relativos à criatividade e ao branding. Com os ingresso muito caro, não houveram tantas adesões de fãs, e ele somente apareceu à imprensa a pilotar um carro de corridas.




Mas foi a partir de maio, que Steve Harris começou a ter seus problemas no que concerne às acusações de plágio, tendo este que pagar uma indenização bem cara à  uma banda que se diz portadora dos direitos autorais de “Hallowed by my name”. Como se não bastasse, em junho, Steve recebeu outras acusações de uso de letras e apropriação dos diretos autorais recorridos por Dennis Wilcock (ex-vocalista), o que gerou uma grande insatisfação por meio de todos os fãs. Em seguida ele responde às acusações e o processo deu o que falar.



Alguns rumores também creditaram a banda e a Bruce Dickinson o lançamento de “possíveis” novos álbuns ou gravações, mas nada ainda à luz da razão e ao conhecimento oficial. Os fãs estão ansiosos por isso!

Em maio, também começam os rumores para a tour “ Legacy of the Beast”, uma das mais bonitas e incríveis tours da banda. Em julho pude assisti-lo em Lisboa e foi de fato um espetáculo de luzes, fogos, vitalidade e potencia. A banda inovou com o hit “Flight of Icarus”, com Bruce atirando tochas de fogo, diante de um cenário belíssimo e personalizado, e a retomada de  "Sign of the cross", "For the greater good of God” e “Where Eagles goes there”, “The Clasmann” já há muito tempo não eram tocadas. O primeiro show da banda foi em Tallin (Estônia), em 26 de maio.




Em junho, finalmente realizei uma entrevista na Europa com Paul Dianno,(ex-vocalista) mesmo que ainda debilitado com problemas no joelho e nos estômago, um ano complicado pois ele teve que enfrentar uma série de cirurgias. Enquanto isso, Bruce Dickinson realizava o lançamento de uma série de vídeos sobre “Aviões da Segunda Grande Guerra” ou World of Warplanes"




Ainda neste mês, finalmente é lançado o DVD e trilha sonora do “Scream for me Sarajevo” em alguns poucos países, do qual trata-se de um documentário sobre a apresentação do vocalista Bruce Dickinson com sua banda solo, em 1994, na Bósnia durante a guerra que ocorria lá.





Dai pra diante, as atenções giraram em torno do lançamento da tour da banda pessoal, do baixista Steve Harris: O British Lion,. Os shows no Brasil, ocorreram no mês de novembro em São Paulo, Rio e Rio Grande do Sul, para o deleite dos fãs do criador do Iron Maiden. Para além disso, lançaram a nova música "Spitfire" como pode ver abaixo.





Finalmente, foi anunciado a participação da banda no Rock in Rio 2019 o que trouxe ao nosso site um ranking recorde de visualizações chegando a mais de 200 mil pessoas e muitas interações. Steve também lança sua nova musica “Spitfire”, e então, podemos dizer que ele continuou a fazer o de sempre, enquanto Bruce seguiu em constantes viagens para dar entrevistas sobre sua vida, especialmente o que se referia ao lançamento de seu livro autobiográfico.





O Iron Maiden continua a ser a grande banda de Heavy Metal que conquistou o mundo. Em uma das entrevistas, Bruce disse que o que mais o impressionava era que, embora a banda tivesse mais de 40 anos de existência (fez 43, no Natal), seu público se renovava constantemente.  Ao invés de encontrar homens da sua idade a acompanhar os concertos, sempre via pessoas muito jovens, o que fazia sentido acreditar, que eles não deveriam parar nunca e portanto, não há uma banda para sempre, mas também talvez ainda não devem acabar tão cedo.



Sabe de mais algum fato ocorrido que não fui citado? Deixe sua opinião.


Sobre Verônica Mourão

Verônica Mourão

0 comentários:

Postar um comentário