[ TÚNEL DO TEMPO] - Kerrang #42 - Maiden Bananas (Ops! Quero dizer...Bahamas)!


Tradução de Samuel Morgero para o site Iron Maiden Pub.

Maiden Bananas (Oops! Quero dizer Bahamas)

Por: Steve Harris

Era uma vez, havia uma... Não, isso já foi usado antes em algum lugar, então vou simplesmente começar dizendo que tivemos um ótimo Natal e Ano Novo em casa depois da turnê mundial de 10 meses de duração que fizemos ano passado. Então, em 2 de janeiro, todos nos encontramos em Heathrow (N.T.: aeroporto internacional de Londres) mais uma vez e fomos para Jérsei escrever o álbum por umas seis semanas.

Ficamos hospedados no hotel chamado "Le Chalet" e imediatamente alugamos uma mesa de tênis de mesa, mesa de sinuca, Invasores do Espaço etc, e um jogo de dardos para Rod "Rufus o Ruivo" (N.T.: apelido do Rei William II) Smallwood. É impressionante que com tudo isso tenhamos conseguido escrever o álbum. Especialmente porque tínhamos nosso próprio bar também. Contudo, nós não conseguíamos sair muito porque estávamos bem no litoral, há milhas de qualquer lugar e não queríamos congelar nossas bolas, então tínhamos que ter entretenimento na parte de dentro, não?

As canções se desenvolveram muito bem. Tenho tendência a escrever sozinho no meu quarto com bastante tranquilidade, ao passo que Bruce e Melvin (desculpe, "H" ou Adrian!) escrevem nas salas de ensaios, amplificadores em alto volume, destruindo tetos, paredes, vizinhos, etc (Na verdade, nós tivemos sorte que não havia muitos vizinhos por perto, bem de qualquer forma não havia quando fomos embora!).

Em seguida foi o Compass Point Studios, em Nassau, Bahamas. A razão para irmos até lá não foi apenas o sol - honestamente! Na verdade o estúdio era ótimo e quando você grava não importa se está desabando um temporal ou um sol brilhante lá fora; um estúdio é um estúdio, não importa onde seja.
Mas tenho que admitir que, uma vez terminadas as faixas de apoio, conseguimos pegar um pouco de sol. O que fazemos é gravar o baixo, bateria e duas guitarras-base, todos juntos para tirar o som mais "ao vivo" possível, após Martin (Birch, nosso produtor) ter mexido em sons, diferentes técnicas de mixagem etc, e estar feliz com a sonoridade. E nós, estando felizes com tudo também, claro.

Normalmente Bruce nos dá um vocal guia; de novo, para nos dar mais um sentimento de "ao vivo", o que pra nós é importante. Então Davey e "H" dobram as partes de guitarra-base. Depois mexem com suas partes (ou Martin faz) e gravam harmonia e solos de guitarra por cima, e Bruce vem e faz suas partes vocais. Basicamente as canções são construídas camada por camada.

Assim que as faixas de apoio estão prontas, todas as demais partes serão feitas individualmente, então enquanto Davey, por exemplo, fazia seus solos ou algo assim, o resto de nós aproveitava, como disse antes, e mandava um bolo de groselha pra dentro.

Além disso, a grande vantagem de gravar aqui foi que estávamos hospedados no mesmo lugar, então se "H", por exemplo, tinha partes de guitarra para fazer, podíamos arrastá-lo para fora da cama, ao passo que, como gravamos os últimos três álbuns em Londres, todo mundo ia para casa depois de fazer suas partes e se eles precisassem fazer qualquer outra coisa era um inferno achá-los e trazê-los de volta de suas casas.

Estando todos em um único lugar também significava que, depois de um dia de sessão, todos podíamos sair e ficar bêbados juntos, o que foi bom para o moral. Costumávamos ir sempre a uma boate chamada "The Waterloo" (posso te dizer que era como um campo de batalhas sangrento depois que passávamos por lá!) (N.T.: trocadilho com a batalha de Waterloo da I Guerra Mundial) apesar do que ela ficava a mais ou menos 14 milhas de distância, do outro lado da ilha. Valia muito a viagem porque os responsáveis (Danny e Robin) nos tratavam muito bem (ou mal, dependendo de como se encara).

Sempre que íamos lá eles insistiam que tomássemos algumas rodadas de schnapps de maçã (N.T.: coquetel com forte teor alcoólico contendo vodka e xarope de maçã) com eles, por conta da casa (matador, experimente e você vai entender o que eu quero dizer). Mágico, ou nada mal, você deve estar pensando, mas eles não aceitavam 'não' como resposta.

Foi quando os alter egos surgiram. Saíamos em grupos de 6 ou 7 e voltávamos em 12 ou 14! "H" se tornou Melvin, Dave era Nobby, Nicko era Boomer, eu era Selwyn, Bruce era Conan o bibliotecário (N.T.: trocadilho com Conan, o Bárbaro) e Martin era Marvin. Que combinação!

De fato, uma noite (bem, era aniversário de Melvin) nós descobrimos Marvin desmaiado no gramado do jardim da boate. Nós o acordamos, mas ele queria urinar então o deixamos vagando por conta própria (bem, estávamos cambaleando também) e, depois de uma busca, nós o encontramos, 15 minutos depois, pregando sobre o significado da vida para três palmeiras! Esta é a verdade verdadeira! Nenhum de nós consegue lembrar-se como conseguimos voltar para os apartamentos do estúdio.

Então, para completar, Ross "Olho de peixe" Halfin veio para passar uma semana. Eu achava que seria para finalizarmos logo o álbum, mas ele veio só para detonar nosso empresário, Rod, no squash, então conseguimos finalizá-lo bem!

Então Martin foi para "Electric Ladyland" (N.T.: Estúdio) em Nova Iorque para mixar o álbum e eu fui para lá para entrevistas promocionais. Bruce e "H" foram para a Grécia dar entrevistas, Nicko voltou para Jérsei para umas férias com a patroa e Dave... bem, ele apenas se mandou para algum lugar.

Então nós nos encontramos em San Sebastian, na Espanha (não, estava chuvoso e frio!) para ensaiar por duas sólidas semanas para esta turnê. E se você acabou de nos assistir ou está prestes a isso, saberá como nos saímos!

Sobre Alexandre Rodrigues Temoteo

Alexandre Rodrigues Temoteo

5 comentários:

  1. Texto muito legal. Eu só achei que faltou uma referência antes do texto começar, explicando de que álbum o Steve iria começar a falar.
    Era o Powerslave, eu imagino.
    Valeu!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pensei na mesma coisa..mas procurei as referências nos discos..eles gravaram os três primeiros em Londres (como o Steve cita) e o Piece Of Mind foi o primeiro com o nome do Compass Point Studios..então acredito que foi a gravação do Piece..

      Excluir
    2. É verdade. E ainda achei uma página dizendo que a Kerrang número 42 era de maio 1983.
      http://www.2112.net/powerwindows/transcripts/19830519kerrang.htm

      Obrigado pela resposta.
      flw

      Excluir
  2. O disco mencionado é o Piece Of Mind....

    ResponderExcluir
  3. O disco mencionado é o Piece Of Mind....

    ResponderExcluir