Bruce Dickinson Vs Steve Harris: Um duelo de mágoas.


Vou começar o tópico explicando um pouco dos fatos, aparentemente insignificantes na época que ocorreram, mas q acabou sendo motivos para a saída de Bruce Dickinson da banda em 1993.

World Slavery Tour

Como todos sabem foi a maior turnê do IRON, em questão de tudo quase, palco, tempo, etc.
A turnê foi muito pesada e todos ficaram exaustos, mortos. Eles tinham 4, 5 shows por semana, durante 14 meses. Tinha vezes que eles não aguentavam ir fazer shows mais.
Vamos ver trechos de entrevistas, para se ter uma idéia melhor do q foi.

"Aquela foi a primeira vez em que pensei em sair não só do IRON mas de toda industria da música.Ninguém se agüentava mais! Eu estava insuportável e a cada dia mais shows era agendados"
(Bruce Dickinson)

"A turnê do Powerslave foi muito longa", disse McBrain. "Durou mais de 13 meses, o que foi quase a morte da banda, para ser honesto, só pelo número de show que fizemos; quatro seguidos, três seguidos, quatro seguidos, folga, três seguidos, folga, quatro seguidos, folga, dois seguidos, folga. Era muito puxado. Acho que viajamos pela América por cinco meses. Naqueles tempos tocávamos em qualquer lugar que nos recebesse".

"Foi como uma volta a anos anteriores a esse, de álbum, turnê, álbum, turnê," acrescenta Steve Harris sobre a experiência. "Acabávamos uma turnê e tínhamos uma semana de folga e depois íamos direto escrever o próximo álbum e ensaiar e depois sair direto para a próxima turnê mundial. E nós fizemos isso pelos primeiros quatro ou cinco álbuns. Era loucura, então naquela época, depois da turnê do 'Powerslave', nós estávamos acabados. Tivemos que dizer ao nosso empresário, 'Olha, nós queremos um tempo'. E todo mundo estava muito destruído. Isso afetou as pessoas em maneiras diferentes. Foi difícil, mas na época, éramos rapazes invencíveis e tínhamos vontade de fazer turnês. Mas no final da turnê, estávamos esgotados. Cinco ou seis noites por 30 meses, duas horas por noite. Fisicamente estávamos ótimos, mas mentalmente, estávamos péssimos," confessa Steve

"O tipo de turnê que o Maiden fez durante esse período, sem contar o tipo de agenda massacrante que tínhamos, poderia afetar a voz do vocalista". Harris reconta esse fato sobre o seu companheiro de banda, amigo e confiável piloto da banda. "Bruce estava tão acabado que nem podia escrever nada. Pelo menos nada coerente (risos), para o próximo álbum. Sem dúvida, ele foi o mais afetado. Quando você está cantando... Eu nem posso imaginar como era cantar da maneira que ele cantava toda noite. É incrível. É muito a se pedir para alguém. Ele tem agudos fantásticos, mas pedir para ele fazer isso toda noite por seis noites por semana, duas horas por noite por 13 meses, é muito a pedir para alguém, mesmo. Eu acho que ele não tinha percebido isso antes de sair em turnê - nenhum de nós percebeu - o que isso ia fazer conosco, porque senão, provavelmente, não teríamos feito tudo isso (risos)! Nós provavelmente teríamos dito 'Ok, vamos ter um mês de folga no meio de alguma coisa,' e provavelmente teríamos recarregado nossas baterias e teríamos continuado bem. Mas passar meses assim, é loucura. Mas acho que tem que se passar por esse tipo de coisa para descobrir."

A conclusão é q a Turnê quase acabou com a banda e desgastou todos , mas principalmente Bruce Dickinson.

Somewhere In Time
Bruce estava esgotado. 6 meses de ferias, e novamente mais musicas para compor. Bruce também compôs, e não foram poucas. Mas observem quantas musicas do Bruce entra no SIT ( uma dica: NENHUMA) não entrou nenhuma do Bruce.
Bruce queria mudar um pouco o estilo q a banda vinha apresentando, queria fazer algo diferente, menos MIADEN. Talvez por cansaço, "trauma", talvez por uma necessidade de escapar da rotina, sei la. Será q Steve gostou da idéia de mudar o estilo da banda?

"Eu achava que deveríamos ousar mais em Somewhere in Time, mesmo sabendo que se fizéssemos mais um disco totalmente IRON MAIDEN, como os três anteriores, todos iriam gostar e comprar, mas eu não ficaria satisfeito com isso"
(Bruce Dickinson)

"Eu percebi q ele não estava entendendo as coisas direito e não era ele mesmo naquela época. Nós não percebemos isto no começo, mas a saturação da turnê anterior havia afetado mais ele do que o resto de nós, e ele não conseguia entrar em sintonia com o estilo de composições que todos estávamos seguindo para Somewhere in Time"
(Steve Harris)

Em 87 quando perguntado porque ele não participou tanto, Bruce respondeu :
"Não foi porque não tivesse material composto. Para mim, esse disco foi diferente em todos os sentidos e eu o vivi assim. Durante um tempo eu passei uma fase de compor músicas no estilo de Jethro Tull ou Peter Hammill, muito mais para o folk do que para o Heavy. Não sei... Sentia necessidade de me exprimir por outros meios e provar para mim que podia me sair bem em gêneros musicais diferentes. Eu levei todo o meu material composto para os rapazes e eles decidiram o que poderia entrar ou não. "

E disse que a banda escolheu bem as musicas.

Claro que Bruce ficou chateado, Steve também percebeu, mas Bruce mesmo chateado compreendeu.


1990: Bring me Your Daugther to No Prayer
Em 1989 Rod recebe uma ligação da Zomba Music, querendo que alguém compusesse uma musica para a trilha sonora de Hora do pesadelo V. Ele pergunta pra Bruce que disse que tinha uma idéia (ele mentiu sobre isso, mas queria fazer) e resolveu fazer. Trabalhando com Janick acabaram compondo um álbum inteiro quase.
Steve curtiu muito Bring me your Daugther.....To the Slaugther e disse q Bruce não poderia colocar no CD solo de Bruce porque iria entrar no No Prayer. Bruce ficou feliz, porque viu que gostaram da musica q ele compôs sozinho.

Ai que começa o trabalho solo de Bruce Dickinson.
Esta chegando perto do duelo de palavras.


1993: 1,2,3 FIGTH
"Sempre me imaginei como algo mais do que simplesmente ser o vocalista do IRON MAIDEN"

Bruce nessa época começava atividades bem intensas extra-MAIDEN: livros, programas de radio, começando a tirar a licença para voar. E a gravadora kis um novo álbum solo do Bruce que aceitou rapidamente.
Bruce começou a fazer sons que dificilmente faria no IRON (é só ver Balls to Picasso).

Bruce tinha dois caminhos:
1- Seguir a carreira solo e corre um perigo de "suicídio comercial"
2- Continuar a fazer o que sempre fazia no IRON, sem nada mudar muito.

"Eu não me importava com o suicídio comercial, pois estava com uma situação financeira muito boa conquistada através do IRON MAIDEN. Precisava saber o que aconteceria, e foi aí que decidi deixar a banda"

Steve não foi pego com tamanha surpresa, pois já havia tido um pressentimento de que isso aconteceria. Mas havia a segunda parte da turnê do Fear of the Dark. Isso que preocupou Steve. Bruce, no entanto, se comprometeu a fazer o que a banda quisesse antes de deixá-la: continuar a turnê, fazer um outro disco,etc. qualquer coisa e ele se comprometeria.

Steve aceitou. Mas depois se arrependeu.

Agora começa o Fight................................

A banda ficou meio pra baixo, quase acabou. Steve estava deprimido por fatores pessoais (divorcio).

Dave em um ensaio em que Bruce não estava disse : por que temos que parar so porque ele vai parar. Arrumamos outro vocalista e continuamos.

Segundo a banda em geral (aparentemente menos Janick) o Bruce não estava se comprometendo com a turnê. Só dava atenção a shows grandes onde a imprensa estava presente. Nos menores..........

"Eu nunca esperei que Bruce fosse entrar no palco, na Real Live Tour e executar performances demonstrando toda sua paixão, pois afinal de contas ele estava deixando a banda. Seria compreensível se ele tivesse sido uma merda durante toda turnê, mas não.Se o show era em algum lugar como Paris, ele ia muito bem, pois lá é um grande centro e toda imprensa marca presença. Mas se o show era em um lugar de menor expressão, como Montpellier(FRA) ou Nice (FRA), ele era horrível e mal cantava. Uma certa noite eu fui ate o cara da mesa de som, e pedi para ele aumentar os vocais, pois eu não estava escutando nada, e o cara me mostrou os botões no máximo volume, e pude ver que Bruce não estava cantando, e sim resmungando. Foi aí que começamos a ficar com raiva dele, pois prometeu que ia dar tudo de si, e estava arruinando a turnê."
(Steve Harris)

Bruce responde:
" Eu me vi em uma situação difícil de se lidar. Eu não poderia subir no palco e encarar o publico nos olhos, dizendo o quão legal estava sendo aquela noite, pois todos iriam dizer que eu era um idiota dizendo que estava gostando de tudo, e mesmo assim não estaria mais na banda dali seis meses. Percebi que não tinha noção nenhuma de como lidar com toda aquela situação, e não poderia simplesmente tirar uma boa performance da cartola.Mesmo assim não sei porque a banda estava reclamando das minhas performances vocais, pois elas continuavam as mesmas de sempre, muito boas."

Dá para notar claramente um certa contradição de Bruce, ao afirmar que não era possível tirar boas performances, e depois dizer que suas atuações estavam tão boas quanto antes.


Bruce ainda fala mais:

"Eu não iria colocar uma máscara de cara feliz. Provavelmente eu fui ingênuo em ter me colocado naquela situação, mas eu estava tentando. Eu tentei o melhor de mim mas eu vi que não dava para ser a mesma coisa. Em algumas noites, por mais que eu tentasse, realmente não dava. Um concerto de rock deveria ser uma celebração e não um velório".

Nicko entra no meio:

"Uma vez meu pai me disse, que se um dia alguém cagar no nome McBrain, esta pessoa fará isso uma única vez. Bruce, basicamente disse 'fodam-se eu estou fora'. Se isto não é cagar em nossa cabeça, então o que é?"

Bruce says:

"Eu não acho que a banda irá acabar só porque eu estou saindo, e acho que o MAIDEN irá se tornara ainda mais o bebê de Steve"

Steve responde:

"Se ele não quer ficar porque não consegue mais dar 100% de si, tudo bem, então vá embora. Ele só esta fazendo esses shows porque já estavam marcados[...]. Na verdade, se ele voltasse atrás agora, e dissesse que não quer mais sair, nós não o aceitaríamos de volta. Particularmente acho que ele está cometendo um grande erro, pois poderia fazer sua carreira solo e continuar no MAIDEN."

Depois Steve ganhou uma carta de um fan dizendo: IRON MAIDEN R.I.P
Steve responde:

"Este cara acha que o Bruce é a banda? Pois nós estávamos juntos havia muitos anos quando ele entrou, então porque não continuaríamos sem ele? Se você acha que devemos parar, então vá se foder"

olha o que o Bruce diz:

"Acho que a turnê de Powerslave foi ótima, ali seria uma ótima hora para colocar um ponto final em tudo. Fizemos Somewhere in Time depois, que não é um dos meus discos favoritos, pois acho que deveríamos ter feito algo totalmente diferente nele. Eu já estava exausto, mas ao invés de tomar uma atitude precipitada, preferi apenas agir como o vocalista da banda. Depois veio o Seventh Son..., que era um álbum conceitual que eu achava que seria ótimo, mas o Queensrÿche fez um melhor naquele ano, que é o Operation:Mindcrime. [....] No Prayer..... veio na seqüência, e tem até musica boa, mas ele soa como um saco de merda"

Esse comentário de Bruce, acho q levado pela raiva e desgosta (não acho q ele realmente ache isso) acaba ferindo o ego dos fans, e não só do resto da banda.

Bruce está fora
Bruce Dickinson sai da banda. Qdo a saida jah havia sido anunciada, cantores do mundo interio mandaram fitas pra poder tentar na banda.
O Steve jah tinha alguem em mente que era o Blaze Bayley, vocalista do Wolfsbane, banda que vinha criando uma certa popularidade dentro da Inglaterra. Um vocal que agradava Steve, e tbm era perfeito para as musica que Steve queria compor. Musicas mais melódicas, tensas e obscuras. Apesar disse houve outros nomes que tinham possibilidade, mas a grande questão estava entre Blaze e Douguie White. Steve preferiu Blaze.
Não vou entrar muito na questão do Blaze porque a matéria é direcionada principalmente entre o Bruce e o Steve que mesmo depois q o Bruce deixou a banda continuavam se atacando.

Então vamos lá:

Eu nunca tinha visto a letra da minha musica preferida de Bruce solo, que é Tears of the Dragon, mas um dia ouvi falar que ele fala oq pensa sobre o MAIDEN. Quando fui ver realmente, é. Então eu vou analisá-la aqui.

Tears of the Dragon

Como disse, eu ouvi falar que ela se trata sobre essa experiencia, e qdo fui analisar realmente mtas pasasagens evidenciam tudo isso.
então vamos lá:

"Por muito tempo
Houve segredos em minha mente
Por muito tempo
Houve coisas que eu deveria ter dito"

Esses segredos na mente dele foram as coisas que ele não disse na época do SIT, ele queria ter dito que não gostou daquilo que queria ter feito algo totalmente diferente. E cada época que passava mais coisas ele não gostava, como ele falou naquela ultima entrevista que eu postei (Seventh foi superado pelo Queensryche, No Prayer parece um saco de merda etc.).

"Na escuridão
Eu estava cambaleando até a porta
Para encontrar uma razão
Para achar o tempo, o lugar, a hora"

Essa escuridão pode ser o que ele sentia no MAIDEN.
Queria achar uma razão para ficar lá.

"Esperando pelo sol de inverno
E pela fria luz do dia
Os nebulosos fantasmas dos medos da infância
A pressão está se formando e eu não consigo me
afastar"

Inverno é sinônimo de uma coisa triste, uma época difícil, complicada. Esperando pelo sol de inverno então significa que ele estava esperando por um momento bom chegar em meio toda aquela dificuldade e tristeza.
Os fantasmas do medo de infância dele, pode ser o receio q ele tinha antigamente de se expor, se soltar. Ele também diz que a pressão de se soltar é grande.

"Me jogo para dentro do mar
Libero a onda, deixo ela me lavar
Para encarar o medo, certa vez acreditei
[Que] as lágrimas do dragão, [eram] para mim e para
você"


Aqui a parte é mais clara. Ele se deixa levar, se solta, deixa as emoções dele falarem por ele. Ele encara aquele medo de se soltar que ele havia falado antes. As lagrimas do Dragão é difícil de enxergar, mas pode ser tristeza, a infelicidade. Dragão é uma figura imponente, que da medo e marca presença, algo grande e forte. Talvez ele use isso pra designar a si mesmo, e as suas lagrimas é a sua infelicidade.

"Onde eu estava
Eu tinha asas que não conseguiam voar
Onde eu estava
Eu tinha lágrimas que não podiam chorar"


Onde ele estava? No MAIDEN. Lá ele tinha um potencial enorme, mas não conseguia fazer valer ele, segundo ele era ofuscado. O q está de acordo com o que havia falado antes. Isso ainda é um sentimento de quando não pode ter suas musicas no Somewhere in Time.
Ele tinha sentimentos e tristezas que não podia falar, q e segurava pra si.

"Eu não tenho poder sobre isso
Você sabe que eu sou medroso
As paredes que construí estão caindo em pedaços
A água está se movendo, estou sendo levado para longe"

Ele diz que teve medo sobre o que estava acontecendo, teve medo de tomar o caminho que tomou.
As paredes que construiu, é o que ele fez com o MAIDEN, a imagem que ele criou lá, o trabalho que construiu banda.
Ele disse que se jogou no mar anteriormente, isso significava que ele liberou seus sentimentos, lembra?
Agora a água estão levando-o para longe, ou seja estão afastando ele do MIADEN. Ele vai fazer algo totalmente diferente.Algo que não faria no IRON MAIDEN. É só ver o que ele fez em seus trabalhos solo principalmente no Balls to Picasso.
Isso propõe um recomeço de seu trabalho, um recomeço de sua carreira.

"Lentamente eu acordo
Lentamente me levanto
As paredes que construí estão caindo em pedaços
A água está se movendo, estou sendo levado para longe"


Ele lentamente acorda, ou seja ele vai cada vez mais percebendo o que sentia no IRON, e cada vez mais ele vai se soltando. As paredes que construiu estão caindo em pedaços; mostra de novo um recomeço.

Ou seja, na musica ele fala, que no MAIDEN se sentia infeliz, onde não conseguia expressar seus sentimentos e opiniões. Mas lentamente foi percebendo o que estava acontecendo e foi deixando se levar. Até q ele decide sair e fazer algo totalmente diferente evidenciando um recomeço em sua carreira.

O que o Bruce fez foi falar assim pro Steve: Ah é champz, vai ficar discutindo com palavras, então eu vou fazer uma musica q vai ser adorada por muitas pessoas inclusive quase todos os fãs de IRON MAIDEN, falando q na banda eu era infeliz. E ai. Cai dentro e pega eu!

Enquanto isso no IRON...

Steve estava enfrentando criticas sobre o álbum The X-Factor. A imprensa e os fans estranharam o álbum, e fizeram duras criticas. O que a banda fez foi através de entrevistas, aumentar a moral de Blaze e eliminar de vez a imagem de Bruce Dickinson.

Agora veja um trecho de uma entrevista com Steve em 96:

Bruce Dickinson era uma presença muito forte na banda, Como tem sido a reação dos fãs com relação ao Blaze Bayley ?

Steve: Blaze tem uma personalidade muito marcante também. Ele é muito diferente do Bruce, mas mesmo assim ele é muito intenso, porque parece olhar para o público muito mais. Ele parece estar ali para o público, ele não zanza muito, ele encara a platéia; eu gosto desse approach. Eu gosto disso porque ele realmente que estar ali, sabe, têm cinco pessoas na banda que realmente querem estar ali.

Qual é a relação da banda atualmente com Bruce Dickinson ? Ele está definitivamente fora, não há chances de voltar ?

Steve: Não há nenhuma relação.

Vocês não se gostam ?

Steve: Eu não quero entrar nessa questão porque o Bruce saiu há três anos. Eu desejo sorte para ele, mas você sabe, é passado.

Agora veja trechos de entrevista com Nicko McBrain, com o mesmo objetivo, tentar por mais moral no Blaze e tentar tirar do Bruce.

IRON MAIDEN tem vindo a ser ao longo do tempo e dos álbuns,uma figura emblemática do hard rock.Conhecendo a homogeneidade da banda..a saída de Bruce dickinson foi para ti uma situação complicada ou conseguiste dar a volta por cima?

Mc brain- o Bruce fez parte da banda durante doze anos, e o primeiro sentimento que vem a tona perante tal noticia é de pena.Depois reflita e diga para ti mesmo: alto aí,ele nunca desejou verdadeiramente ser um membro em toda a integridade no seio do grupo,portanto que se f*da!Depois de termos passado por isso tínhamos que levantar a cabeça rapidamente e não deixar que as decisões dele afetassem a continuidade da banda .IRON MAIDEN é a minha via.Desde os meus treze anos de idade,a minha ambição de baterista era de pertencer a uma banda como esta,demorou cerca de 20 anos para chegar onde estou atualmente.O capitulo Dickinson que diz respeito aos MAIDEN está definitivamente apagado no meu espírito,logo não guardo nenhuma animosidade perante ele.

A forma de tocar automática com O Bruce devem ter-se tronado naturais..Alteraste o teu jogo em função do Blaze Bailey?

McBrain- Não,antes pelo contrario.Blaze parece bastante mais em harmonia com o ritmo que foi O Bruce.As partes da bateria que são acentuadas funcionam definitivamente e claramente melhor com a voz do Blaze.Um exemplo característico é”Hallowed be thy name”.Tinha o habito de tocar este titulo de forma bastante rápida seguindo a voz de Bruce. Blaze, quer que todas as letras possam ser percebidas e entendidas,que não era o caso com o Bruce.Agora a bateria e a voz tornaram-se num só.Nós estamos verdadeiramente soldados ritmicamente falando,e gravamos nós os dois um vídeo dos concertos desde do inicio da digressão para definir os erros.A autocrítica permite-nos progredir mutuamente e de fazer evoluir a nossa musica.

Aqui o Nicko tentou dizer q o Blaze é melhor que o Bruce em um aspecto, meio insignificante. Foi maios ou menos assim: Pô, não o Blaze é melhor pra mim e pra todo mundo porque ele quer que as letras sejam nítidas e mais lentas. (??????????)
Caramba, as musicas do MAIDEN, tem que ser mais rápidas e o próprio Nicko já disse que ele gosta de tocar mais rápido. Ou seja, ele usou um argumento que era pra ser a desfavor de Blaze, para dar moral a ele.

Em 97 no Brasil, jornalistas perguntaram a Bruce se ele pensava em voltar ao IRON. Ele disse que não porque sua carreira estava subindo enquanto a do MAIDEN caindo.

Veja o "tapa na cara" que Steve deu em Bruce, numa entrevista em 98:

RB - Falando um pouquinho do antigo vocalista da banda, Bruce Dickinson, você ouviu o álbum que ele gravou com Adrian Smith, Accident Of Birth, lançado ano passado?

HARRIS - Sim, é um álbum muito bom. Tem umas músicas muito legais nele, especialmente Man of Sorrows, que é genial.

RB - Quando Bruce tocou no Brasil no final de 97, muito jornalistas perguntaram se ele não pensava em voltar para o Maiden. Bruce respondeu que não, pois sua carreira estava subindo e a do Maiden caindo - provavelmente por causa no novo vocalista. Como você encara esse tipo de comentário?

HARRIS - [rindo bastante] Ele disse que o MAIDEN está caindo? Bem acho que se ele der uma olhada nas vendas de seus álbuns solo e nas do MAIDEN com Blaze, vai encontrar algumas diferenças. Ou melhor, algumas grandes diferenças. [ri novamente] Isso é muito engraçado.

K.O!

Janick e Dave, jah foram mais mornos e contudentes:

Muitos fãs acham que o Blaze não está a altura para substituir o Bruce Dickinson. Embora o Blaze tenha mostrado muita força de vontade, muita gente não gostou do X Factor.

JANICK - É extremamente complicado e difícil você substituir um vocalista da qualidade do Bruce e que esteve no IRON durante 12 anos. É obvio que todos estavam esperando um cara igual ao Bruce, mas decidimos que já que ele saiu, não queríamos uma cópia sua. Temos consciência que o tom de voz do Blaze é mais baixo que o de Bruce, mas isso não importa; o que queríamos para o Iron era um cara com as características do Blaze.
Estamos extremamente satisfeitos com o Blaze. Talvez os fãs ainda não tenham conseguido pegar toda a percepção do X Factor. Mas o IRON está perfeito com o Blaze.

DAVE - Quando o IRON estava no começo e o Paul Di Anno saiu aconteceu a mesma coisa, só que ele tinha 1 ou 2 anos de carreira e a diferença não foi tão grande e o IRON ainda não era tão conhecido. O IRON é um grupo e não somente 5 pessoas. Quando o Bruce saiu, achamos que o IRON iria acabar, foi então que os outros caras falaram "Somos 5 caras, então vamos continuar". Então nos reunimos e decidimos como seria o novo vocalista, mas não seria uma cópia do Bruce para ficar diferente.

JANICK - Como a voz do Blaze é mais profunda, um outro tom, nós como músicos podemos criar outras coisas, outros tons de guitarras, outras harmonias que não explorávamos com o Bruce que estava na banda a 12 anos. Como músicos, isso nos acrescentou bastante. Continuamos amigos de todos. Não é questão de substituí-los e sim de achar uma outra pessoa, porque todos eles são insubstituíveis.

Em 1997 Bruce, apos de gravar dois discos bem distantes do Heavy Metal, volta as suas raízes e junto com Adrian Smith volta a fazer Heavy Metal com Accident of Birth.

"Eu fiz tudo isso deliberadamente" admitiu Bruce "Eu queria soar mais MAIDEN do que MAIDEN".

Steve (antes de elogiar o álbum como fez na entrevista q postei anteriormente) fez um seguinte comentário:

"Bruce gravaria um disco de Country, se ele pensasse que isso ia vender".

NO MAIDEN...

Blaze Bayley vinha apresentando certas inconsistências ao vivo. Havia vezes em que ia muito bem e outras muito mal. Segundo Steve isso já havia sido discutido entre eles, e o problema continuava persistindo. As criticas que já não eram muito boas, começaram a ficar pior. Ao final da turnê do Virtual XI, Steve teve que retirar Blaze da banda, uma decisão discutida pela banda, e uma das coisas mais difíceis que Steve teve que fazer. Blaze ao contrario disse que o assunto ainda não havia sida tão debatido assim e esperava voltar da turnê e gravar mais um álbum. Apesar disso ele não guarda rancor da banda, pelo contrario, ainda mantém contato, e agradece a banda, alem de usar o que aprendeu com a banda, em sua carreira solo, mas sem ficar na sombra do IRON, como acontece com Paul Di'Anno.

Mas vamos ao que interessa. Rod Smallwod pediu para Steve aceitar Bruce de volta, coisa que Rod sabia que Steve não ia aceitar nem negar de imediato. Sabia que Steve gostaria de sentar e conversar com Bruce primeiro. Mas o que Steve não sabia é q secretamente (malandro esse Rod, hein) estava conversando com Dickinson secretamente também. Bruce estava entusiasmado com a idéia, apesar de falar que só 10% caberia a ele, os outros 90% ao IRON.

Mas Steve e Bruce se encontraram secretamente na casa de Rod, na Inglaterra, e conversaram. Steve ficou surpreso com a vontade de Bruce voltar à banda.

Vamos conferir trechos de entrevistas dos dois sobre esse acontecimento!


"O que mais me interessava seria voltarmos e fazermos o melhor álbum possível, pois eu não queria ser parte de uma banda apenas nostálgica e mostrar para bandas como Limp Bizkit o quanto nós já tínhamos sido bons. Eu queria voltar para ser reconhecido pelo que faríamos naquele momento e no futuro"
(Bruce Dickinson)

Finalmente eles vão conversar.

"Foi estranho, pois achei que ambos estavam nervosos. Mas assim que entramos na sala nós nos demos um grande abraço e parece que tudo evaporou e foi embora. Foi aí que sentamos e conversamos"
(Bruce Dickinson)

A primeira pergunta de Steve a Bruce, foi por que ele queria voltar ao MAIDEN.
Bruce disse que não agüentava mais tocar em clubes. Queria voltar a tocar para 20mil pessoas e não 2 mil.

"A segunda pergunta foi quanto tempo ele pretendia ficar, pois não adiantaria nada ele voltar, ficar um ano e meio, e ir embora. Eu não falava com Bruce havia cinco anos, e admito que achei que chegaríamos nesta reunião, ela não daria certo, e nós iríamos embora. Mas quando a conversa começou, percebi que ele estava 100% disposto a voltar a banda e dar tudo de si, realmente empolgado, e foi então que decidi desencanar de minhas preocupações pessoais e tomar a decisão certa para o MAIDEN como um todo."
(Steve Harris)

"Eu ainda disse ao Steve que não tinha nenhuma intenção de gravar um disco de Country, e todos acabamos rindo disto"
(Bruce Dickinson)

Isso foi ótimo para eles, os dois se entenderam, e convenhamos: os dois se amam né, parece até briga de melhor amigo criança:
- Ah não eu to de mal seu bobo, não brinco mais.
-Eu que não brinco mais com você vou brincar sozinho.

TEMPO DEPOIS:
-A vamos ficar de bem....dá dedinho, vamo abraçar e brincar junto?
-Vamo, claro porque não?!

Mas melhor do que pra eles e para a banda, isso foi melhor ainda para nós: FANS.
Não porque o Blaze saiu, mas sim porque o Bruce entrou. Eu acho o Blaze um puta vocalista, muito bom mesmo, e lançou dois álbuns perfeitos com o MAIDEN, e cantou demais neles. Mas pra mim o Bruce é o melhor vocalista do mundo. E também a banda já havia acabado com o Blaze por conta daqueles problemas, e de todos que poderiam entrar certamente a melhor opção foi a volta de Bruce Dickinson ao IRON MAIDEN, ah e de Adrian Smith também!!!

Durante a turne do Ed Hunter em 1999, Nicko dizia que dava graças a Deus que Bruce voltou senão a banda iria acabar, e os outros tbm exaltavam a volta do Deus dos vocais a banda.
Porém Steve Harris naum dava tanto assim o braço a torcer e tirava um pouco da euforia do antigo, e agora novo, vocalista.

"Eu não vejo muita diferença entre esta turnê e a que fizemos com Blaze. Há alguns shows que têm um pouco mais de gente, mas as reações do público não são tão diferentes entre agora e antes. No ano passado tocamos em muitos lugares que são os mesmos para 8.500 pessoas. Este ano estamos tocando para 10 mil. É diferente, mas não tanto"

Vamos concordar com uma coisa, duvido que a reação nos shows quando Bruce voltou não foi 10 vezes mais agitada, talvez mais agitada que qualquer outra turnê que o MAIDEN já tenha feito. A era Blaze estava meio morna com os fans que sentiam falta do Bruce, e alem disso segundo o próprio Steve , Blaze apresentava inconsistências. E a volta de Bruce foi lendária, coisa esperada por todos os fans.
Eu que iria em todos os shows com o Blaze também, porque gosto muito de sua fase, eu iria ficar 100 vezes mais eufórico com a volta de Bruce.
E outra coisa, se eles tocaram pra 10 mil pessoas quando Bruce voltou é pq soh cabiam 10 mil pessoas no lugar (porque é um publico bem pequeno pro IRON), e se eles tocaram no mesmo lugar pra 8.500 pessoas é porque não conseguiram lotar. E para o MAIDEN não encher um lugar de 10 mil pessoas, é porque eles não estavam com as melhores relações com os fans. Detalhe, com aqueles fans, volto a dizer que eu estaria lá com o Blaze da mesma forma que com o Bruce.
Mas é visível que Steve deu uma amornada na euforia da volta de Bruce, contando algo q não é totalmente verdade, e ele sabe disso.

Mas Bruce voltou e agora o IRON MAIDEN está melhor do que nunca, isso que importa!!!!!!!!! Pra mim esta atual formação é a melhor de todas.

A qualidade de audio eh ruim, e algumas palavras acabam embolando um pouco e eh em ingles.

Mas ele basicamente fala que a turne de 93 qdo o Bruce jah havia anunciado que ia sair e que naum queria ficar na banda, foi um erro, na verdade ele volta atras e fala que foi uma decisao dificil. Cancelar a turne onde jah havia gente com os ingressos, ou fazer um show com um cara que naum queria, que naum dava 100% naum ia mto bem.
Ele xinga um pouco tbm, mas eh basicamente isso.

Bom espero que tenham gostado!

UP THE IRONS!!!

Fonte: Maiden Reviews

Sobre Iron Maiden Brasil

Iron Maiden Brasil