NUMBER OF THE BEAST: Permanece como uma das principais obras do Heavy Metal




Falar do Iron Maiden é falar de uma lenda viva; grandes álbuns, monstruosas turnês, shows impactantes, intensidade e entrega sobre o palco, virtuoso, carisma e sobre tudo, excelente música é o que “A donzela de Ferro” deixou como legado, legado que mantem-se vivo enquanto a banda continua ativa, indo de um lado ao outro.

Em dezembro de 1981, Iron Maiden começou a trabalhar no que seria seu terceiro álbum. Houve alguma incerteza dentro do grupo, uma vez que tinha perdido o seu vocalista da banda Paul Di'Anno; a nova cara era Bruce Dickinson, um cantor com experiência e de grande presença de palco.
Para este importante desafio, Iron Maiden contou com a colaboração do experiente produtor Martin Birch, com quem haviam trabalhado no álbum anterior “Killers”, o qual os ajudou a dar-lhes formas as ideias que tinham contemplado.

Em pouco menos de 2 meses este material  terminou de  ser gravado, mas levaria até março de 1982 quando publicaram; tinha o título controverso “The Number Of The Beast”. Desde a seu lançamento ao mercado se tornou um sucesso, apesar da censura e pouco apoio dos meios de comunicação, especialmente no caso dos Estados Unidos, onde a banda não brindou muito por serem rotulados como satânicos.

O resultado é simplesmente majestoso: Heavy metal carregado de inteligentes e intricados arranjos, uma potencia sonora incrível, destacando o ritmo poderoso pelo grande Steve Harris no baixo e Clive Burr na bateria, além do delicioso jogo de guitarras e o que dizer do Bruce Dickinson nos vocais, transmitindo tanto em cada um de seu desempenho.

Por outro lado, o aspecto lírico deste grande disco é impactante: letras épicas, algumas são praticamente mini historias, outras carregadas de referencia filosóficas, sendo Steve Harris o compositor da maioria.

Não tem pontos fracos neste material, cada uma das nove
musicas tem uma personalidade própria, mas mantendo um estilo, uma estética que ninguém podia igualar ao Iron Maiden. Temas como “The Prisoner”, “Invaders”, “Children Of Damned” são musicas poderosas, mas certamente há outros três que se destacam, atingindo o rótulo de clássicos, dos clássicos do Rock : “Run to the hills”, “The number of the beast” e“Hallowed be thy name”.

Além da qualidade musical deste grande álbum, há também histórias misteriosas por trás de sua produção: diz-se que fenômenos paranormais ocorreram durante a gravação deste álbum do Iron Maiden, de luzes que se apagavam sem razão, problemas enigmáticos com equipamentos de gravação, as coisas se moviam, além disso, o produtor do álbum teve um acidente de carro algo forte e qual foi a surpresa ao ver a fatura dos danos, esta foi 666 libras.

“The Number Of The Beast” está prestes a completar 34 anos de vida, e apesar de estar com mais de três décadas continua soando fresco, contundente, poderoso, mantendo-se como uma obra fundamental do heavy metal.

1. Invaders
2. Children of the damned
3. The Prisoner
4. 22 Acacia Avenue
5. The Number of the Beast
6. Run to the Hills
7. Gangland
8. Hallowed be thy name

monterreyrock.com

Sobre Sah

Sah

0 comentários:

Postar um comentário